ANÁLISE DE INVESTIMENTOS – COMO ESPECULAR?

Tempo de leitura: 7 minutos

Se você já assistiu o filme “O lobo de Wall Street” não precisa nem ler este artigo. O filme é basicamente uma lição do que a especulação financeira pode fazer com um negócio que ninguém daria centavos de credibilidade a ele.

Mas, se você não assistiu o filme ainda, não tem problema.. aqui vai um artigo explicando o que é a especulação, como os especuladores fazem para analisar investimentos, e o que acontece quando há especulação!

Especulação, cada um puxa para o seu lado!

Mais uma vez vou recorrer ao meu amigo dicionário para tentar explicar o que o termo especulação significa.

Especulação: 1 Ato ou efeito de especular. 2 Investigação teórica. 3 Operação comercial que visa não apenas ao lucro ordinário do ramo, mas sobretudo aos das flutuações conjeturais do preço das mercadorias, ou se faz por uma transação que envolve riscos incomuns contra uma chance de lucro muito grande. 4 Operação financeira sobre valores sujeitos às oscilações do mercado. 5 Contrato ou negócio em que uma das partes abusa da boa-fé da outra. 6 Exploração ardilosa.

Caramba Denis! Se você tentou me ajudar só piorou as coisas.

Calma amigo(a)! Se você parar para ler com atenção, vai perceber que muito do que a palavra significa está claramente dito no texto acima, mas mesmo assim vamos exemplificar.

Especulação é mais do que “ser o bandido” enganando o mocinho e lucrando com a inocência ou a falta de conhecimento do outro. Especular pode ser nada mais nada menos que uma investigação teórica… como o próprio dicionário nos diz.

Se eu vou comprar uma televisão nova e visito diversas lojas, comparo os preços, negocio e decido pela melhor opção, eu estou especulando. Eu vou as lojas, verifico condições, prazos, modos de pagamento, então depois converso com o vendedor e negocio o preço, alegando que há outros lugares com melhores condições.

Eu não pratiquei nenhum crime na situação acima. Eu simplesmente fiz uma investigação sobre os preços das TVs para poder optar pela melhor opção de custo x benefício.

Mas, como nem tudo são flores, também existem os que especulam por má fé em busca de um lucro ou benefício próprio. Como o mercado de ações, por exemplo, é composto por diversos investidores, é fácil alguém começar a especular e mudar bruscamente o valor de uma ação.

A bolsa de valores, pra simplificar, é um grande jogo de especulação.

Eu tenho uma ação X e acho que ela vale R$ 1,00, então eu coloco o preço de venda neste valor e espero alguém pagar pelo que eu pedi. Então vem alguém e acredita que a minha ação vale R$ 0,87, então este investidor coloca o preço de compra neste valor e espera alguém ceder uma ação X recebendo os R$0,87.

Nós dois colocamos nossas expectativas na mesma ação porém com valores diferentes, esperando que o mercado aceite e concorde com aquele valor. Nós dois atiramos cada um contra o outro para ver quem leva a melhor neste bang-bang.

Agora pare e pense. Se numa média de análises a empresa está cotada a 1,20, mas eu querendo ganhar mais do que 0,20 centavos decido derrubar esta ação! Eu que possuo, por exemplo, 50% de todas as ações desta empresa vou ao mercado e começo a vender ela sem parar. Logo o mercado irá perceber esse movimento de venda e ai entra oferta x demanda. Com muitas ações sendo vendidas (mesmo que só eu esteja fazendo isso) o preço dela irá cair… e irá cair tanto que seu valor digamos chegue a R$ 0,75 centavos.

Ai quando eu achar que o mercado já precificou a ação neste valor, eu vou novamente à bolsa e começo a recomprar tudo novamente. O preço vai começar a subir novamente e no fim o que eu vendi a 1,20 eu comprei a 0,75, ou seja, 0,45 centavos de lucro.

O exemplo acima é uma coisa que recorrentemente acontece nas bolsas de valores de todo o mundo. Muitos investidores, ou bancos, corretoras… enfim, muitas pessoas praticam essas vendas ou compras brutas com intenção de desvalorizar/valorizar uma ação sem um fundamento, ou seja, sem ter um real motivo pro preço da ação subir ou cair. Isso meus amigos, é especulação. E isso, meus amigos, é crime!

Pirâmides, os egípcios e seus esquemas.

Não, os egípcios não  faziam especulação na idade dos faraós. Pirâmide é o nome dado a um esquema que depende do constante fluxo de novos integrantes para que o sistema continue. Vamos explicar…

Imagina assim. Você promete pagar dois mil reais a uma pessoa se ela vender selos. Caramba, quantos selos eu preciso vender? Apenas uns 10 por mês. Poxa que fácil!!

Mas, para ganhar os dois mil reais você precisa fazer com que mais duas pessoas topem vender selos. Então quando essa duas pessoas a mais entram no sistema, elas precisam dar de antemão mil e quinhentos reais pra entrar no esquema. Se você conseguir duas pessoas, eu tenho três mil reais na mão e te dou de bom grado os dois mil, sendo que eu fiquei com mil reais na mão sem fazer nada.

Agora imagine que sempre que alguém quiser ganhar dois mil reais facilmente ela só precisa de dois amigos pra entrar no sistema. Pronto, a pirâmide está montada e quanto mais pessoas entrarem neste esquema maior será o sistema de pirâmide e o lucro do cabeça, ou seja, quem iniciou o processo.

Mas o que acontece se depois que quinhentas pessoas entrarem na pirâmide e ninguém quiser, ou tiver mais pessoas para entrarem na pirâmide. Quem vai pagar para os antigos participantes?? Da onde virá o dinheiro?

É ai que o negócio cai e todo mundo perde. Se você foi um dos últimos a entrar na jogada, pode apostar que vai perder tudo!  Esse esquema é comum em diversos países e sempre tem um ou outro tentando armar um novo modelo que passe pelos olhos dos fiscalizadores.

Grandes capítulos na história das fraudes

Jordan Belfort.

O protagonista da história que se passa no filme “O lobo de Wall Street”, Belfort foi um especulador dos “bons”. Ele vendia a pequenos investidores ações conhecidas como penny stocks, ações que valem centavos. Ele vendia aos seus clientes ações de empresas que ele sabia que não valiam nada fazendo com que estas aumentassem seu valor sem nenhum fundamento real. O total da fraude? Algo em torno de 145 milhões de euros.

Bernard Madoff

Este investidor fez o que muitos empresários fazem, o famoso esquema de pirâmide. Com essa brincadeira, ele conseguiu 48 milhões de euros e hoje possui uma pena de 150 anos de prisão.

Allen Stanford

Outro investidor que resolveu brincar de pirâmides, Stanford fraudou 5 milhões de euros e hoje também cumpre pena de 110 anos. Neste caso também houveram indícios de lavagem de dinheiro, especulação de mercado além de especulação no mercado imobiliário.

Então é isso! Cuidado com a especulação pra você não perde seu precioso dinheirinho! Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

3 Comentários


  1. Os fraudulentos sao uma organizacao extremamente perigosa, mas mesmo assim seu sistema fraudulento complexo acaba sempre na justica,sendo que precisamos ser cautelosos para com estes. Obrigado

    Responder


Deixe uma resposta