Cinco investimentos para vencer a crise.

Cinco investimentos para vencer a crise.

Compartilhe

O Brasil está em crise! Os juros estão altos, a inflação disparou, o emprego caiu e o o país perdeu sua nota de investimento. Atualmente essas são as notícias que nós vemos todos os dias nos jornais e na TV.

Para onde quer que se olhe, só temos pessimismo e mais pessimismo rondando o cenário econômico, e o pior é que não há previsão de melhora até o começo de 2017.

Mesmo assim, ainda há uma luz no túnel para aqueles que são disciplinados e conseguem poupar um percentual de seus salários todo mês a fim de investir e rentabilizar seu capital, acumulando quantias cada vez maiores.

Com o intuito de ajudar aqueles que querem driblar a crise e ainda sair com alguma rentabilidade em seus investimentos neste ano e no próximo, nós do Economia sem Segredos temos algumas dicas.

Reunimos os cinco melhores investimentos para vencer a crise! Vamos a eles…

5 INVESTIMENTOS PARA VENCER A CRISE.

1 – LCI

A Letra de Crédito Imobiliário é uma ótima opção para aqueles que querem unir rentabilidade, segurança e estabilidade.

Este título é uma ótima opção uma vez que ele paga um percentual do CDI, um índice que segue de perto a taxa SELIC, que está hoje em 14,25% ao ano (Out/15). Sendo assim, caso você adquira uma LCI que pague 100% do CDI, você estará tendo em média uma rentabilidade de 14% ao ano contra uma inflação de aproximadamente 9%… um lucro real de 5%!

Além de rentabilidade, a LCI ainda tem a garantia do FGC, que devolve o valor investido de até R$ 250 Mil caso a instituição aonde o dinheiro estiver aplicado venha a falir.

O ponto negativo é a liquidez da LCI, onde o investidor geralmente necessita aplicar por um prazo maior do que 1 ano para ter uma boa rentabilidade e não pode mexer no dinheiro até chegar a data do vencimento.

Clique aqui para ler mais sobre a LCI.

2 – LCA

A Letra de Crédito do Agronegócio é tão boa opção quanto a própria LCI. De fato, ambas são bem parecidas:

  • Rentabilidade segue o CDI
  • Não incide a tributação de IR
  • Cobertura de até R$ 250 Mil pelo FGC
  • Liquidez limitada de acordo com o prazo

Um ponto extra em favor da LCA é que sua garantia está relacionada ao setor de agronegócio brasileiro, ou seja, um dos poucos setores que ainda vão bem na atual conjuntura econômica. Já a LCI tem seu risco atrelado a empreendimentos imobiliários, ramo de atuação considerado de risco durante períodos de crise (lembrando que até R$ 250 Mil você tem a garantia do FGC em ambas).

3 – CDB

O Certificado de Depósito Bancário é um investimento que tem seu risco atrelado à instituição financeira emissora, ou seja, o risco do título do Itaú tem o mesmo risco do banco quebrar, assim como um CDB do Bradesco, Banco Safra e etc. Ainda por cima, o CDB também tem aquela cobertura de R$ 250 Mil, portanto investimentos abaixo dessa quantia são bastante seguros.

A vantagem do CDB é que muitos têm liquidez diária, ou seja, você pode resgatar o valor investido a qualquer momento sem nenhuma burocracia. É claro que essa vantagem não seria de graça (afinal os bancos querem lucrar também).

Ao retirar seu dinheiro de um título de CDB, o investidor paga Imposto de Renda (IR) sobre o valor acumulado, variando de acordo com o tempo que ele manteve o investimento em sua cesta de ativos financeiros:

  • Investimentos até 6 meses – 22,5% de IR
  • Investimentos entre 6 meses a 1 ano – 20% de IR
  • Investimentos entre 1 ano a 2 anos – 17,5% de IR
  • Investimentos acima de 2 anos – 15% de IR

No caso do investidor sacar o valor em um prazo inferior a 30%, o resgate também sofre imposto de IOF.

A rentabilidade de um CDB varia de banco para banco, porém é sempre dada em um percentual de CDB. Bancos mais seguros e robustos como os grandes Itaú, Bradesco e Santander pagarão um percentual menor do CDI (algo entre 70% – 80%) por apresentarem menor risco de quebrar.

Já bancos de menor porte podem pagar um percentual maior (algo próximo de 100% do CDI ou até mais) para valer a pena deixar seu dinheiro em uma instituição financeira de maior risco.

4 – AÇÕES

Ações? Você deve estar louco!!!

Sim, caro leitor! Eu sei que atualmente a bolsa de valores está uma loucura em um sobe e desce terrível de preços com as cotações das empresas despencando. No entanto, o bom investidor é aquele que sabe aproveitar as oportunidades no momento certo!

Com o preço das ações em queda, muitas empresas que possuem bons fundamentos financeiros e uma estrutura administrativa sólida estão vendo suas cotações derreterem por puro pessimismo na economia brasileira. Nesse caso, muitas empresas boas ficarão baratas para se adquirir em um momento de crises como este, gerando elevados ganhos financeiros quando o mercado voltar a subir!

“Mas Denis, quando o mercado voltará a subir?”

Ninguém sabe ao certo. Por mais que economistas façam suas previsões, a economia é algo que varia muito rápido e qualquer ação do governo pode alterar drasticamente o cenário econômico.

O consenso é que a economia brasileira volte a melhorar somente em 2017. Até lá, caso você seja disciplinado o suficiente para guardar um percentual de sua renda e se empenhe em estudar o mercado de ações, você pode muito bem acumular um bom capital quando o Ibovespa voltar a subir.

Para acompanhar as suas ações preferidas e poder verificar seus fundamentos econômicos, confira dois links abaixo que ensinarão você a analisar empresas:

Análise de investimentos, parte 1.

Análise de investimentos, parte 2.

5 – FUNDOS DE INVESTIMENTOS

Se você se interessou pelas dicas de investimento, mas não tem tempo ou conhecimentos suficientes para começar a investir por conta própria, nós temos a solução! Faça parte de um fundo de investimentos.

Em resumo, um fundo de investimentos é uma união de esforços e recursos captados de pessoas jurídicas ou físicas com o objetivo de se obter ganhos financeiros através da aplicação destes recursos em valores mobiliários.

Resumindo, é a junção do dinheiro de diversas pessoas sob a administração de um gestor para que este aplique o dinheiro de todos e alcance melhor rentabilidade do que se cada um o fizesse individualmente.

Então caso você queira investir seu dinheiro, mas prefere deixar na mão de alguém com experiência, um fundo de investimentos é uma ótima opção!

Clique aqui para aprender mais sobre eles!

Conclusão:

Em momentos de crise, não é fácil ganhar dinheiro, uma vez que o mercado financeiro “entra em pane” e todos os investidores ficam perdidos sem saber o que fazer com o excesso de informações que vem de todos os lados.

Para conseguir tirar proveito da crise, no entanto, você precisa manter a calma e ser o mais analítico possível, mantendo a cabeça fria e focando naquilo que importa: a rentabilidade de seu patrimônio.

Bônus: para te ajudar a escolher entre taxas pré-fixadas ou pós-fixadas clique aqui.

Com as dicas acima, você com certeza alcançará uma rentabilidade maior! Bons investimentos!

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

Compartilhe
Artigo anteriorBiblioteca em casa, A crise de 1929.
Próximo artigoTranspacífico - O novo acordo comercial.
Graduado em Ciências Contábeis, possui MBA em Investment Banking e está agora iniciando seu mestrado em economia. Atualmente trabalha no mercado financeiro e escreve os blogs com o objetivo de ajudar as pessoas a conhecerem um pouco mais acerca do mundo econômico, contábil e administrativo e sobre tudo o que isto implica.

2 Comentários

  1. Olá, Denis. Grato por compartilhar seus conhecimentos!! Só gostaria de saber se há como colocar a data das postagens, já que se trata de informações que mudam com o tempo!
    Abraços!!

    • Olá Danielson,

      Eu quem agradeço pelo comentário e por creditar ao Grupo sem Segredos a qualidade de fonte de informação confiável.

      Sobre as datas, infelizmente não é viável colocá-las, uma vez que o Google penaliza as buscas em blogs/sites que possuem datas fixas. No mais, quando houver alguma dúvida acerca de quando o artigo foi postado ou sobre sua validade, basta entrar em contato conosco pelo e-mail contato@economiasemsegredos.com

      Abraços!

Deixe uma resposta