Conselho Monetário Nacional (CMN) – O que é e o que faz?

Conselho Monetário Nacional (CMN) – O que é e o que faz?

156
16
SHARE

Seria um sonho, sempre que precisássemos de dinheiro, nós podermos ir aos bancos, caixas eletrônicos e corretoras e solicitar junto ao caixa a quantia desejada para comprarmos o que quiséssemos. Mas voltando a realidade, você sabe como e quem coloca dinheiro na nossa economia? As siglas do começo do artigo dão uma dica! O Conselho Monetário Nacional (CMN).

Neste artigo vamos falar sobre a emissão da moeda nacional e o responsável pela ordem de emissão dela. Vamos lá.

CMN – o que é e o que faz?

O conselho monetário nacional em si não é quem imprime as notas de real (quem faz isto é a casa da moeda), mas sim quem autoriza e regulariza a emissão.

O CMN é na verdade um órgão que estabelece, regulariza e fiscaliza as mais diversas diretrizes gerais das políticas monetárias no Brasil, ou seja, o CMN é quem mantém o bom funcionamento das políticas de câmbio, crédito e monetária para uma perfeita harmonia entre elas.

Equipe do Conselho Monetário Nacional.

Os integrantes do CMN são:

1. O ministro da fazenda.
2. O ministro do planejamento.
3. O presidente do Banco Central (BC).

O CMN é responsável também pelo controle das operações de movimentação em moeda estrangeira (inclusive o ouro) e também pela fiscalização das instituições financeiras que operam neste segmento, como as casas de câmbio por exemplo.

Outro papel importante do CMN é a manutenção do valor interno da moeda quando em momentos de inflação ou deflação, também atuando no controle do valor da moeda quando em momentos de crises.

Mas e o dinheiro? Queremos saber do dinheiro!

A dúvida maior deste artigo é: “Como é feita a emissão da moeda?” Como já dito em outros artigos, temos que entender que o dinheiro é uma mercadoria como as outras que existem, e esta mercadoria tem um preço.

(O preço da moeda no tempo chama-se juros. Clique aqui e veja nosso artigo sobre juros).

A diferença do dinheiro para as outras mercadorias comuns é que o dinheiro representa a riqueza real de tudo que é produzido na economia (PIB) e por isto não pode ser “fabricado” à vontade de uma pessoa.

Se você já leu os outros artigos do blog você provavelmente saberá responder a pergunta: “o que aconteceria se fosse emitido dinheiro sem nenhum controle?”…

Inflação é claro!

Quando há mais oferta que demanda o valor da mercadoria tende a se desvalorizar, e isso acontece também com o dinheiro. Se, por exemplo, um saco de arroz custa cinco reais e um trabalhador ganha cinco reais para comprar este saco a economia esta balanceada, mas e se fossem emitidos mil reais e colocados na mão da população em geral sem que houvesse maior produção de sacas de arroz?

O saco de arroz ainda custaria cinco reais, mas o excesso de dinheiro tornaria este produto barato. Depois de um tempo os vendedores de arroz perceberiam o crescimento na renda da população e então aumentariam seus preços fazendo assim aumentar a inflação, pois houve aumento no preço de um bem sem que este tenha sido gerado em maiores quantidades.

Para haver emissão de dinheiro deve se haver aumento de produção e riqueza para que a balança esteja equilibrada!

(Para entender o poder da inflação na nossa economia clique aqui).

Agora que você já sabe como funciona a emissão de dinheiro não vale mais pedir aumento ao chefe sem aumentar sua produção!

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

16 COMMENTS

    • Acompanhar o blog sempre dá bons frutos! Adiantamos o artigo sobre emissão da moeda pois ele foi dúvida sua e de alguns leitores. Continue nos acompanhando, inscreva-se no blog e recebe novo artigos por email.

      Abraços

    • Pellegrini,
      Meu foco não é de fato dar dicas sobre investimentos X e Y, porém tento ajudar de forma que vocês possam ao entender o mundo econômico conseguir encontrar a melhor forma de entrar no mundo dos investimentos. Futuramente abordarei alguns investimentos e darei consequentemente dicas sobre o assunto.
      Acompanhe o blog! Inscreva-se e fique por dentro dos próximos artigos.

      Abraços

  1. Ola, tomei conhecimento do site hj, uma duvida: se aumentar os bens produzidos então esses podem ter seus preços aumentados? Todos sabemos que não é isso que ocorre!
    Muitas coisas tem suas quantidades aumentadas e seus preços não sobem , por um bom tempo, e quando sobem são apenas para corrigir a inflação, segundos os varejistas por exemplo.
    obrigado pelo retorno desta duvida.

    • O preço de um produto é estipulado por diversos fatores como o custo de produção, o lucro que a empresa quer, a demanda do mercado, seu valor agregado. Por exemplo, você pode comprar uma camisa sem nenhuma marca e pagar R$10,00 por ela. Porém você pode comprar uma camisa de mesma qualidade de uma marca famosa e pagar R$ 50,00. Por que a diferença? O preço que enxergamos em um produto varia conforme o valor que admitimos que ele vale. Em questão do aumento dos preços, a maioria dos produtos sobem seus preços por fatores como oferta no mercado, ajustes de inflação, estratégias de margem de lucros e etc. Espero ter ajudado.

  2. […] Conselho monetário nacional: responsável pela ordem de emissão da moeda. O CMN é um órgão que estabelece, regulariza e fiscaliza as mais diversas diretrizes gerais das políticas monetárias no Brasil, ou seja, o CMN é quem mantém o bom funcionamento das políticas de câmbio, crédito e monetária para uma perfeita harmonia entre elas. […]

  3. Eu ainda tenho dúvidas, por exemplo, não há nenhum lastro tal como ouro nada para a emissão de dinheiro ? É simplesmente uma medida do PIB que determina essa emissão ? vi um vídeo que diz que nos EUA o governo emite titulos da dívida publica para o FR e esse emite o dinheiro face a essa promessa da divida do governo , isso é verdade ??

    • Olá Claudio, tudo certo?

      Desde a Segunda Guerra Mundial, após o Acordo de Bretton Woods, as principais economias mundiais (incluso os EUA e Brasil) deixaram de ter a emissão de moedas baseado na quantidade de ouro disponível em cada país. Sendo assim, a criação de moeda está ligada à força econômica de um país, sua atividade produtiva e o crescimento de seu PIB.

      Quanto maior for o desenvolvimento de uma economia, maior será também a geração de valor produtivo no país com bens e serviços sendo produzidos e realizados, gerando consumo e consequentemente crescimento econômico.

      Então em resumo, as moedas mundiais não possuem mais um valor atrelado ao ouro, um bem físico e negociável. Atualmente a força de uma moeda está baseada em três grandes pontos principais: a) a confiabilidade no governo do país, b) a riqueza da economia gerada (PIB) e c) a liquidez internacional da moeda (câmbio).

      Mas lembre-se… quando o governo decide emitir (imprimir) mais moeda do que a sua economia cresce, a maior disponibilidade de dinheiro causa inflação nos produtos e encarece a vida das pessoas.

      Espero ter ajudado! Abraços.

  4. Deixa eu te perguntar uma coisa: o Banco Central não guarda os depósitos compulsórios? Só recolhe?

    • Ola Eliza,

      Os depósitos compulsórios ficam sim sob poder do BC, porém, eles ficam sob a titularidade contábil de cada um de seus depositantes, ou seja, os próprios bancos.

Deixe uma resposta