Deflação – O que é? Como funciona?

Tempo de leitura: 3 minutos

Não importa em que época estamos. No Brasil, a inflação sempre foi um monstro o qual todos temem e torcem para que ele permaneça adormecido.

Em outro artigo, nós já falamos sobre inflação (Clique aqui e aqui para ver), então hoje vamos tratar de um assunto que é exatamente o oposto da inflação, a deflação.

Deflação, o contrário não quer dizer que é bom.

Primeiro vamos entender o que é e o que não é deflação.

Deflação é quando os preços CAEM, ou seja, quando uma coisa custava R$ 10,00 e agora custa R$ 5,00.

Desinflação é quando os preços sobem menos, por exemplo, uma coisa aumentou seu preço em 10% mês passado e este mês aumentou “só” 5%.

Entendeu? Beleza… vamos em frente!

Como tudo na economia, as coisas andam em ciclo, e como na deflação não poderia ser diferente, vamos demonstrar através de um exemplo como ela pode surgir:

“Uma cidade tem 1.000 habitantes e uma fábrica que produz 500 produtos. De cara você consegue ver que há mais demanda (1.000) do que oferta (500). Posto isso, temos que pela lei de oferta x demanda o preço tende a subir quando há mais pessoas querendo comprar do que produtos a se vender.

Essa fábrica então acelera sua produção e começa a fazer 2.000 produtos para as mesmas 1.000 pessoas, acreditando que como as pessoas gostam deste produto elas vão dobrar o seu consumo. No entanto, as pessoas param de consumir este produto, que aos poucos vai ficando no estoque da empresa. Desesperada, a empresa começa a baixar o preço pra estimular o consumo, mas cada vez mais a empresa não consegue vender, pois as pessoas esperam o preço cair mais e mais para comprarem pelo menor preço.”

Agora você pode estar falando:

Mas Denis, o preço cair é uma coisa boa porque as pessoas vão poder comprar mais por menos.

Sim caro(a) leitor(a), mas a questão não é tão simples quanto parece.

Quando as pessoas, e até mesmo as empresas, acreditam que um bem vai custar menos no futuro próximo, elas adiam o consumo esperando que possam pagar um preço menor na compra. O que deve ser observado é que quando ninguém consome não há giro na economia, ou seja, o país todo para.

Se as pessoas param de comprar um produto X, uma empresa para de produzi-lo, afinal ela vai perder dinheiro em um produto que ninguém consome. Se a empresa vende menos ela lucra menos, se ela lucra menos ela corta custos, se ela corta custos ela demite funcionários, que por sua vez perdem renda e então param de consumir…. assim o ciclo da deflação destrói toda a economia.

(Para conhecer mais sobre oferta e demanda, nós já publicamos dois artigos sobre o assunto que você pode acessar clicando aqui e aqui)

Inflação x Deflação

Geralmente logo depois de eu explicar deflação para alguém a pessoa me pergunta qual das duas eu prefiro. Bom, eu particularmente prefiro a Inflação.

A inflação controlada é claro, mas a inflação, pois quando uma economia não consegue girar o consumo os efeitos são, na maioria dos casos, piores de quando o preço dos bens se eleva.

Até porque a inflação corrige nossos salários, então de certa forma, nós estamos “protegidos” dela. Claro que respeitando uma variação bem baixa da inflação na qual ninguém perca poder de compra de tal modo que não consiga comprar os bens básicos.

Então é isso, agora você já conhece os dois lados das variações dos preços. Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

9 Comentários


  1. Gostei imenso, explicação simples e clara. Espero que também abordes assuntos ligados a microeconomia como a utilidade marginal na escolha dos consumidores e para macroeconomia sobre a importância dos microempreendedores para a economia.

    Responder

    1. Olá Ari,

      Obrigado por acompanhar o blog!! Fique ligado que sempre estamos atualizando nossos assuntos!

      Abraços

      Responder

  2. posso estar errado, mas eu entendo dessa forma:
    Existem outros casos de deflação. Por exemplo é quando aumenta-se a produtividade, de maneira que o ponto de custo marginal = receita marginal se torna em um preço menor e vendendo mais produtos, dessa forma em geral deflação é um efeito muito bem vindo a economia.
    Uma outra causa pode ser uma “crise”, vinda de um processo expansionista anterior, de maneira que novamente a deflação é bem vinda para que o mercado busque o equilíbrio correto, e não continue atuando de maneira taylorista tentando postergar essa deflação, um exemplo é o gasto absurdo que os EUA tiveram após a crise do sub-prime com resultados pifios.

    Responder

  3. Simplesmente claro e objetivo!
    Conheci o seu blog ontem e acho que já li mais da metade dos seus textos, não consigo parar de ler. Parabéns!
    Será que você poderia falar sobre o PIB?

    Responder

    1. Muito obrigado Flávia!
      Nós tentamos ser o mais objetivos o possível para mostrar às pessoas que a economia pode ser algo fácil de se entender!

      Sobre o PIB, temos dois artigos bem legais que explicam o conceito. Digite PIB na barra de busca no canto superior direito da tela que você os encontrará!

      Abraços!

      Responder

    2. Simples de mais inclusive existem vários tipos de deflação.
      Como Cássio acima disse:
      “””Existem outros casos de deflação. Por exemplo é quando aumenta-se a produtividade, de maneira que o ponto de custo marginal = receita marginal se torna em um preço menor e vendendo mais produtos, dessa forma em geral deflação é um efeito muito bem vindo a economia.
      Uma outra causa pode ser uma “crise”, vinda de um processo expansionista anterior, de maneira que novamente a deflação é bem vinda para que o mercado busque o equilíbrio correto, e não continue atuando de maneira taylorista tentando postergar essa deflação, um exemplo é o gasto absurdo que os EUA tiveram após a crise do sub-prime com resultados pifios.””

      Responder

  4. Denis, amei seu texto. Super simples e fácil de entender. Por isso, queria saber se você pode me ajudar com alguma explicação sobre gráficos de curva demanda, curva de oferta, inflação de demanda e inflação de oferta. Tô muito confusa com esses termos e o material da minha faculdade me parece grego de tão complicado. Agradeço.

    Responder

Deixe uma resposta