DEPÓSITO COMPULSÓRIO – MULTIPLICADOR BANCÁRIO.

Tempo de leitura: 3 minutos

Quem não conhece o milagre da multiplicação? Aquele que quando faltou comida para todos, foi multiplicado peixe e pão. Claro que com alimentos não da pra fazer isso do nada, mas com dinheiro dá!! Os bancos fazem isto o tempo inteiro, e este é o tema do nosso artigo…

A multiplicação monetária.

Em outro artigo (clique aqui para ler), nós aprendemos que os bancos são como uma loja que comercializa um produto, que no caso dos bancos é o dinheiro.

Para você depositar seu dinheiro que está sobrando lá e deixar o banco utilizar ele, o banco te paga um juros. No outro lado da operação, o banco empresta dinheiro para quem não tem dinheiro sobrando e cobra também um juros nesta operação.

A diferença entre as taxas de captação de dinheiro e empréstimo de dinheiro é conhecida como SPREAD.

Pois bem. Imaginemos que você possui R$ 100,00 sobrando e o depositou no banco. Então o banco pega o dinheiro que você deixou lá e repassa à terceiros, certo? Mas e se você for lá sacar este dinheiro? O banco irá lhe devolver os mesmos R$ 100,00 que você depositou, mesmo se quem pegou emprestado ainda não devolveu!

Pera ai… então os R$ 100,00 originais se tornaram R$ 200,00… ou seja, o que você sacou mais o que está com quem pegou emprestado no banco.

Conclusão: o banco multiplicou a quantidade de dinheiro na economia.

Como funciona o multiplicador bancário.

Aqueles R$ 100,00 que você depositou ficam na sua conta e são repassados à quem precisa. Mas não é todo este dinheiro que é repassado. Por lei, os bancos precisam seguir a regra de recolhimento compulsório do BACEN, que é nada mais que um valor percentual (%) que o BC obriga os bancos a permanecerem como uma reserva, caso seus clientes queiram sacar seus depósitos.

Veja o exemplo abaixo:

Como podemos ver, a cada depósito, o banco era obrigado a guardar 10% do total depositado para constituir uma reserva caso alguns de seus clientes queiram sacar seu dinheiro de volta.

Mas Denis, essa multiplicação é infinita?

Não meu amigo! Se fosse infinita, haveria tanto dinheiro no mercado que geraria inflação.  Se você tirar continuadamente os 10% obrigatórios de reserva, você irá ver que uma hora a quantia será tão pequena que não é possível mais emprestá-la.

Meios de multiplicação da grana!

Basicamente, podemos multiplicar dinheiro de três formas, destacando-se:

  • Depósito Compulsório: o Banco Central define quantos % cada banco deve guardar de cada depósito em caixa. Quanto maior o percentual, menor a quantidade de dinheiro sendo multiplicado na economia.
  • Títulos públicos: em uma operação realizada pelo BC conhecida como open market, o BC compra ou vende títulos públicos para regular a quantidade de dinheiro na economia. Quando o BC quer tirar dinheiro da economia, ele vende títulos públicos ao mercado e mantém o dinheiro em caixa. Quando quer colocar ele recompra esses títulos e enche a economia com crédito.
  •  Redesconto: ao final do dia, os bancos brasileiros precisam ter uma quantia estipulada pelo BC em dinheiro no caixa para manter o sistema financeiro. Quando um banco não possui esta quantia mínima ela pode pedir a outros bancos ou ao próprio BC. Quando pede ao BC, este cobra uma taxa chamada de redesconto. Quando menor esta taxa, mais barato fica para os bancos pegarem dinheiro com o BC e então poderem emprestar mais.

Então é isso! Agora você já sabe como é criada e destruída a quantidade de dinheiro multiplicado na economia. Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

Deixe uma resposta