ELASTICIDADE – OFERTA E DEMANDA – O QUE É?

Tempo de leitura: 4 minutos

Neste artigo vamos introduzir um pouco mais de teoria econômica para ajudar a galera que andou pedindo nos e-mails. Sendo assim, vamos abordar um tema que, apesar de ser complexo, está no dia-a-dia de quase todos nós.

Vamos falar da elasticidade da oferta e da demanda!

Elasticidade: o sobe e desce e o comportamento do mercado.

Alguma vez quando você estava no mercado ou no shopping realizando sua compra rotineira e olhou o preço daquela camisa que no mês anterior estava R$ 25,00 reais e agora está R$30,00 e parou pra pensar: “O que fez esse preço subir?”

“Foi a Inflação!” Alguns podem dizer…

Eu particularmente não acredito que a inflação tenha alterado o preço da camisa em 20% em apenas um mês. Sendo assim, nos resta pensar que o preço subiu porque o dono da loja assim o quis ou porque o preço da camisa obedeceu a regra básica de oferta e demanda.

Vamos à explicação:

Digamos que exista um produto que todo mundo quer, um smartphone por exemplo. A empresa que produz este smartphone fabrica 1.000 peças e cobra R$ 1.000,00 por cada uma. No final do mês, com a venda de todos estes smartphones, a empresa teve lucro e vai se preparar para fabricar outras mil peças para o próximo mês.

No entanto, no mês seguinte, o produto foi tão bem aceito no mercado que a procura passou de 1.000 peças para 2.000 peças. Neste cenário a empresa pode tomar duas decisões:

  1. Investir em novas máquinas para produzir mais e atender a nova demanda.
  2. Aumentar o preço do produto para cortar o crescimento da demanda.

No primeiro cenário, a empresa precisa gastar seus recursos na compra de novas máquinas e equipamentos para começar a produzir e torcer para que a demanda continue alta, caso contrário o investimento foi em vão.

Já no segundo cenário, a empresa apenas precisa aumentar o preço de seu produto de tal modo que nem todos os interessados tenham recursos para comprar seu produto e assim diminuir a demanda para os mesmos mil produtos. Isso tudo ainda ganhando mais.

Qual destes cenários você escolheria?

Na verdade, não importa! Cada empresário tem uma visão diferente. Uns podem enxergar uma oportunidade de crescimento de mercado e investir em máquinas, outros podem apenas querer ganhar mais com o mesmo. O que eu quis mostrar para você é que ações geram resultados e isso cria elasticidade.

O fato da demanda crescer influenciou diretamente no preço do produto, ou seja, se tivermos um número relevante de dados, é possível estimarmos como o mercado vai se comportar.

Na imagem acima podemos ver que quanto maior o preço, menor a demanda. Então o que podemos perceber é que um influenciou o outro. Isso se chama elasticidade, ou seja, o movimento da reação para cada tipo de ação estimada.

O exemplo acima é visivelmente perceptível em produtos de alto ou baixo custo. Aqueles que têm um preço menor tendem a ser mais consumidos pela maior parte da população, enquanto que aqueles que são de custo elevado tendem a ser menos buscados.

Mas Denis, essa regra vale para tudo?

Não… a regra de consumo de bens possui alguns pontos importantes a observar:

a) Bens de consumo substitutos:

Neste tipo o consumo é alterado conforme o preço do produto se eleva. No caso dos bens substitutos, procura-se consumir outro produto que atenda a demanda original sem comprometer uma maior parte da renda, ou seja, as pessoas vão preferir gastar menos entre dois produtos similares.

Exemplo: o preço da gasolina se elevou enquanto que o preço do álcool manteve-se inalterado. Sendo assim você, com um carro flex, poderá optar pelo consumo de álcool em contrapartida do aumento do preço do outro combustível sem comprometer sua renda.

Quanto maior o preço, menor o consumo.

b) Bens complementares:

São bens que são consumidos em conjunto e que o aumento ou a diminuição da demande de um, determina um movimento espelho no outro.

ExemploCarro e combustível = para utilizar o carro você precisa necessariamente de combustível (independente de ser álcool ou gasolina conforme exemplo anterior). Então quando o preço do combustível aumentar, veremos na mesma proporção a diminuição no consumo de carros.

Outro exemplo muito utilizado é o pão com manteiga. Se o preço do pão se elevar repentinamente, o consumo de manteiga irá cair também devido o fato de ninguém comprar o segundo por conta do primeiro.

Quanto maior o preço do produto 1, menor seu consumo. Quanto menor o consumo do produto 1, menor o consumo do produto 2 (independente do preço do 2).

Conclusão

O mercado como regra básica gira em torno da lei “Oferta x Demanda”, então vale a pena entender como ações geram reações e como o mercado funciona baseado na elasticidade de consumo.

Se gostou, não deixe de compartilhar com os amigos!!!

Até a próxima!

26 Comentários



  1. Parabéns pelo texto, linguagem de fácil entendimento e conteúdo interessante.

    Responder

  2. Esse texto me salvou. Sempre tive dificuldade de entender Economia mas seu texto tem uma linguagem de fácil entendimento. Parabéns e obrigada!

    Responder




  3. Parabéns! Explicação simples e completa! Eu estava perdido, foi de grande ajuda!

    Responder

  4. Denis Ferreira, voce é nota mil na explanação dos conteudos aqui expostos, uma linguagem tão clara consisa e precisa conseguiu fazer com que eu percebesse sem muito esforço. valeu.

    Responder

  5. Denis, qual da data que isso foi publicado ?
    vou citar em um trabalho acadêmico

    Responder

    1. Olá,

      Ele foi publicado em 05 de Março de 2015, às 20:25.

      Abraços.

      Responder

Deixe uma resposta