Informações de mercado – Quando usar?

Informações de mercado – Quando usar?

Compartilhe

Diversas vezes você já entrou pela manhã no noticiário econômico, viu as notícias e aparentemente estava tudo bem. Nenhuma notícia ruim para azedar seus investimentos na bolsa.

Porém, quando você entrou novamente perto da hora do almoço um choque tomou o seu corpo inteiro de repente. O Ibovespa amargava no vermelho, suas ações caiam sem parar, seu dinheiro ia embora pelo ralo e você não sabia nem o que estava acontecendo.

Lá ia você então buscar em todos os sites quais foram às notícias que derrubaram o mercado esperando encontrar alguma manchete que explicasse o crash da bolsa. Então é quando você não encontra nada, nem uma nota de rodapé que explique o que aconteceu.

Desolado você volta a trabalhar e quando a noite volta ao site de notícias para contabilizar o prejuízo do dia, você vê que a bolsa subiu como nunca! Afinal, o que gerou este movimento de mercado? O que fez o mercado subir tão rápido? E cair?

A pergunta que não quer calar é: “Por que as pessoas ficam em pânico no mercado de ações?”.

Informações de mercado, quando usá-las?

Se eu disser que você não deve ler ou acompanhar o que os jornais andam dizendo sobre os seus investimentos eu estaria não só contando a maior mentira como também me contrariando.

Uma das principais armas ao seu lado que você pode ter quando estiver investindo no mercado de ações são as informações. Com elas você consegue acompanhar o mercado, entender o sobe e desce das ações, prever movimentos e ficar antenado em como anda o setor que você investe.

Mas qual é o limite de informações que uma pessoa precisa para investir?

A universidade do Sul da Califórnia afirmou através de estudos que uma edição de domingo do jornal americano The New York Times contém mais informação que um inglês teria em toda a sua vida no século XVIII.  O excesso de informações às vezes nos levam a um pane mental que nos levam a extremos na hora de investir.

Um investidor que pegou uma leva de notícias negativas sobre determinada empresa pode ficar receoso demais e deixar uma oportunidade passar, enquanto que outro pode ler somente notícias favoráveis e comprometer seus investimentos baseado no excesso de “achismo”.

Não é comum as pessoas se basearem em ecos de informações e tomarem suas decisões sem sequer ao menos estarem conscientes de tal posição. O nome disso se chama paralisia de análise que é quando uma pessoa fica sem reação por estar demasiada confusa e sem saber o que fazer.

O segredo para quem for começar a investir é buscar fontes sólidas e não digitar no Google “como investir”, pois assim você pode atrair milhares de “dicas lixo” com promessas e estratégias mirabolantes para você ganhar dinheiro rápido e fácil.

Anote esta dica!

Uma dica pessoal que dou é uma regra que adotei em meus investimentos e que custei a aprender e tive que cair antes de levantar e continuar.

Uma vez que você irá atrás de uma corretora de investimentos para começar a investir, procure aquela que lhe envia por e-mail um resumo do mercado e das cotações das principais ações todos os dias, assim você terá informação útil de forma fácil e de quem possui analistas confiáveis que procuram tendências nos mercados.

Fuja dessa…

Como eu disse, eu mesmo apanhei quando comecei. Mesmo com uma base sólida (estudando economia desde os 14 anos) eu fui à busca de estratégias de ganho rápido e fácil de capital e acabei levando a pior.

Estude, conheça o mercado que você vai investir, busque, pesquise, questione, mas cuidado com suas fontes ou a paralisia de análise pode lhe pegar também!

Se você quiser saber mais sobre como acompanhar o mercado eu recomendo a leitura dos seguintes artigos:

Investimentos, analisando empresas.

Análise gráfica, suporte e resistências.

Análise fundamentalista, uma leitura da empresa.

Bons investimentos!

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

2 Comentários

Deixe uma resposta