Juros negativos – O que é?

Juros negativos – O que é?

Compartilhe

Quando estamos falando sobre juros, você sabe muito bem o que isto implica: dinheiro mais caro! Ao tomarmos um empréstimo de R$ 1.000,00 com juros de 10%, teremos de devolver ao final do período estipulado R$ 1.100,00.

Como você acabou de perceber, os juros são o “preço do dinheiro” tanto quando tomamos um empréstimo como quando investimos nosso dinheiro. Quanto maior os juros, mais caro é o custo do dinheiro.

(Nós já falamos sobre juros nos artigos Juros e Taxa Selic clique para conferir).

Mas o que ocorre se ao invés de ter um percentual de 10%, 20% 30% ou até 50% os juros apresentarem um valor negativo de -10%… -20% e assim por diante? Esse é justamente o tema de nosso artigo de hoje. Vamos ao tema!

Juros negativos, o mundo abaixo de zero.

Para explicar como os juros negativos funcionam vamos recorrer a outros dois artigos que já publicamos aqui no post, os quais aconselhamos que você leia antes de prosseguir:

Inflação e Deflação

Para refrescarmos a memória, rapidamente vamos expor o que cada um desses termos infringe na economia.

Inflação: é o aumento percentual do valor dos produtos. Quando há uma demanda maior que a oferta, ou seja, um maior número de pessoas querendo um produto com quantidade limitada. A escassez desse produto então eleva os preços para cima, diminuindo o poder de compra da população.

Deflação: é a redução percentual do valor dos produtos. Quando há uma oferta maior que a demanda, ou seja, um maior número de pessoas querendo vender um produto com poucas pessoas querendo adquiri-lo. A grande disponibilidade desse produto então reduz os preços devido ao fato dos vendedores tentarem convencer a compra do produto através de um menor valor.

Então o que entendemos é que a deflação faz os preços caírem continuamente, uma vez que a população espera que os preços continuem caindo e postergam o consumo na esperança que possam comprar o mesmo produto por um valor cada vez menor.

Se as pessoas param de comprar um produto, as empresas param de produzi-lo, afinal ela vai perder dinheiro em um produto que ninguém consome. Se a empresa vende menos ela lucra menos, se ela lucra menos ela corta custos, se ela corta custos ela demite funcionários, que por sua vez perdem renda e então param de consumir…. assim o ciclo da deflação destrói toda a economia.

É justamente nessa hora que o governo atua a fim de minimizar os riscos de uma queda geral nos preços dos bens e serviços. É estipulado o juro negativo!

Em um cenário de deflação, as pessoas deixam de consumir e guardam seu dinheiro em investimentos, os quais renderão juros para ela. No Brasil, podemos usar o exemplo da caderneta de poupança que remunera através de juros próximos de 6% ao ano.

Já em um cenário de juros negativos as instituições financeiras literalmente cobram para deixar o dinheiro de seus clientes parados. Desse modo, espera-se que as pessoas não se sintam estimuladas a ter dinheiro parado e vão as compras, estimulando a atividade econômica do país.

Imagine que a poupança de uma hora para outra pare de remunerar seus correntistas e comece a cobrar -5% de cada depósito. Na prática, quando você estiver aplicando seu dinheiro sob juros negativos você estará perdendo dinheiro!

Mas Denis, por que então as pessoas investem em juros negativos?

O que ocorre é que muitos investidores buscam “portos seguros” para seu capital, buscando conciliar rentabilidade, liquidez e risco.

Desta forma quando um investidor deseja deixar seu dinheiro parado em uma economia segura como a dos Estados Unidos, Alemanha e Japão, por exemplo, ele receberá uma rentabilidade muito baixa, afinal investir em economias estáveis não apresenta muito risco.

Ai é que está o problema. Países desenvolvidos tem apresentado crescimento reduzido em seus PIBs uma vez que investidores estrangeiros deixam dinheiro lá apenas rendendo, sem se preocupar em aplica-los em atividades econômicas. Com isso há pouco investimento em inovação e produção, gerando a já comentada deflação.

Para evitar este tipo de situação, estes países aplicam juros negativos em seus investimentos a fim de estimular que o dinheiro que outrora estava parado seja direcionado ao mercado de consumo e às empresas, gerando emprego, renda e consumo.

Então agora que você já sabe como funcionam os juros negativos já pode evitar investir seu dinheiro e sair perdendo!

Se gostou, compartilhe com os amigos! Até a próxima.

Compartilhe
Artigo anteriorFGC, dúvidas e respostas.
Próximo artigoBiblioteca em Casa, Economia no mundo real.
Graduado em Ciências Contábeis, possui MBA em Investment Banking e está agora iniciando seu mestrado em economia. Atualmente trabalha no mercado financeiro e escreve os blogs com o objetivo de ajudar as pessoas a conhecerem um pouco mais acerca do mundo econômico, contábil e administrativo e sobre tudo o que isto implica.

3 Comentários

  1. Parabéns pelo texto usei para explicar para uma turma e todos gostarem dele como material suplementar, gostei do material eu buscar outros aqui mesmo.

Deixe uma resposta