MERCADO FINANCEIRO – CICLOS FINANCEIROS E CRISES.

Tempo de leitura: 4 minutos

Crises no mercado financeiro.

Ontem, hoje e amanhã… estas são as datas em que você vai ler o jornal da manhã e ver que a economia mundial está em crise. Mas o porquê de tantas crises? O sistema capitalista é ruim? As empresas estão falhando em sua gestão? O governo não consegue comandar o país?

Como tudo em economia, as respostas não são sempre simples e óbvias.

Uma crise pode estar relacionada a um ou a diversos fatores. Pode ser a quebra de uma grande empresa, pode ser um período de recessão de um determinado setor, pode ser também um problema de crédito como foi visto nos Estados Unidos em 2008.

Como já dito em outro artigo:

Uma crise financeira pode ter diversos motivos, porém um de mais destaque é quando em determinada nação há um número maior de agentes pessimistas em relação aos otimistas.”

Vai e vem, as crises como pêndulos.

A melhor maneira de se descrever o vai vem das crises é dizendo que estas fazem parte de um ciclo econômico, ou seja, a economia alterna entre períodos de expansão, de manutenção e de recessão.

Se a economia de um país vai bem as empresas deste produzem mais e obtêm mais lucros, para produzir mais então as empresas contratam mais mão de obra, o que leva a uma população com mais renda, que aumenta o crescimento do consumo e assim o ciclo se mantém.

Porém haverá um momento em que a empresa produziu tanto que há mais oferta que demanda. Então a empresa abaixa seu preço pra estimular o consumo, ela com menos lucro nas vendas reduz sua produção, assim reduzindo sua força de trabalho, então entra o desemprego, a renda cai, a empresa vende cada vez menos, a população perde seu poder de compra e no meio de todo este caos se instaura uma CRISE.

E a crise permanecerá para sempre? Não… o ciclo então se renova.

A empresa com um preço baixo atrai demanda, que gera fôlego para ela voltar a produzir, e a contratar, e a renda da população sobe, o emprego volta, o poder de compra aumenta e assim voltamos a bonança.

A economia segue então os ciclos financeiros que seguem nas altas e baixas.

Capitalismo, um sistema renovador.

Há quem defenda o capitalismo e há quem o critique. Não importa em que grupo você esteja, uma característica do capitalismo não pode ser ignorada…ele renova o mercado.

O sistema capitalista faz com que as empresas busquem o lucro para seus donos e sócios, assim elas sempre irão buscar novas formas de ganhar mais dinheiro e mais dinheiro, sendo uma das formas mais eficazes de aumentar o lucro a otimização de processos.

Seja por novas formas de produzir, novos mercados a concorrer ou o uso de tecnologia, o capitalismo força as empresas a fazer mais com menos e assim a população ganha com produtos melhores.

Mas o que acontece quando duas empresas competem pelo mesmo mercado e uma se desenvolve melhor? Provavelmente a outra não irá aguentar o baque e irá falir.

Quando uma empresa pede falência empregos são perdidos, renda deixa de ser gerada e um monte de implicações a isto podem levar muitas pessoas à crise, mas também a saída de uma empresa de um setor pode ser um chamativo pra outras empresas entrarem no mercado e assim nós ganhamos novamente com mais concorrência, que leva a qualidade maior e preço menor.

O papel do governo.

Em tempos de crise é normal se ver alguns economistas e até a própria população exigindo que o governo tome uma posição para estabilizar a economia.

A verdade é que muitas empresas esperam que o governo salve todo o país e ainda não deixe nenhuma empresa quebrar. Isto certamente é impossível uma vez que o país deve fomentar o desenvolvimento sem ser parcial, ou seja, sem beneficiar uma empresa ou outra.

Então a forma mais eficaz de um governo lidar com a crise é investindo. Investir em infraestrutura é um ótimo modo de um país amenizar os efeitos de uma crise por 4 motivos:

  • Melhora a estrutura do país
  • Beneficia a população com melhores condições estruturais
  • Gera empregos
  • Desenvolve a renda

Quando um país gera empregos através de grandes investimentos a população em geral volta a ter poder de compra e assim poder consumir mais, que por sua vez melhora a demanda das empresas que voltam a produzir e neste ciclo voltamos com o tempo de crescimento econômico.

Então é isso, agora você já conhece um pouco mais do capitalismo e seus efeitos na economia e nas crises. Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

4 Comentários


  1. Muito interessante sua explicação. Parabéns é um ótimo trabalho.

    Fica uma sugestão e um pedido:
    Você poderia escrever o que pensa sobre uma possível bolha no mercado imobiliário brasileiro. E caso venha à acontecer quais seriam os prejuízos gerados por esta possível crise.
    Algum tempo atrás eu li que o americano Robert Shiller apontava para uma possível bolha em nosso mercado imobiliário, sabemos dos acertos dele sobre acontecimentos parecidos, mas, é verdade que o mercado brasileiro é bem diferente se comparado com o americano no momento da crise imobiliária.

    Abraços e novamente parabéns.

    Willian M.
    Estudante de ciências econômicas.

    Responder



Deixe uma resposta