Mercantilismo – O que é, Definição.

Mercantilismo – O que é, Definição.

151
2
SHARE

No artigo de hoje vamos abordar um pouco de teoria econômica. Para tal, vamos recorrer a nossa amiga história… uma matéria da qual eu sempre gostei!

Estado forte, população feliz.

Hoje, como você mediria o tamanho e a força de um país? Pela sua economia? Pela sua força militar? Por seu território e bens naturais?

Lá pelo século XV, essa foi a grande dúvida dos reis que governavam naquela época. Muitos dos países queriam saber se estavam crescendo ou diminuindo seu poder econômico, além de poder fazer a comparação entre os países para se saber quais eram os soberanos.

Foi ai que os economistas da época tiveram uma ideia de medir o tamanho do Estado e essa ideia era um dos pilares do Mercantilismo, o Metalismo. O metalismo é a teoria de que quanto mais metais preciosos, como ouro e prata, um país tiver guardado em seus cofres, mais forte é este país e mais poderoso é o rei.

Na idade moderna (o berço do mercantilismo), a Europa passava por uma explosão econômica aonde os países desenvolviam o comércio exterior a todo vapor, e isso gerava diversas vantagens e desvantagens.

As vantagens eram para os países que possuíam maiores e melhores manufaturas, que consequentemente produziam produtos com mais valor do que aqueles países que possuíam apenas bens naturais (ou como as conhecemos hoje, as commodities). As desvantagens eram então a saída de dinheiro do país e a escassez de metais preciosos.

Vamos refletir. Se um país era medido pela quantidade de metais que possuía em seus cofres e os reis queriam ser sempre soberanos, como ter um país forte se todo meu ouro e prata vão embora para outros países quando eu compro os produtos deles?

Dessa pergunta nasceu o segundo pilar do mercantilismo, a balança comercial favorável.

Balança comercial desregulada

Para resumir, a balança comercial é a soma de todos produtos exportados versus todos os produtos importados que um país negociou em um período de tempo. Se o país vendeu mais para os seus vizinhos do que comprou  deles, temos uma balança comercial favorável… ou seja, entrou mais dinheiro no meu país do que saiu.

Bem, dito isto nós temos que raciocinar… como um país faz para que seus países vizinhos comprem suas mercadorias?

Uma boa resposta seria o país melhorar sua produção fazendo que seus produtos manufaturados sejam de ótima qualidade e que eles satisfaçam a necessidade do vizinho.

Mas foi isso que os reis da época fizeram?

Nem pensar…. eles fizeram algo que é praticado até hoje em dia, Eles criaram o Protecionismo.

Protecionismo, você não mexe no meu e eu não mexo no seu!

Os reis da época tiveram a brilhante ideia de realizar decretos que proibissem certos produtos estrangeiros de entrar no país ou criaram impostos que tornavam caro este produto. A ideia era: “Se temos um produto similar aqui dentro de casa, por que ir no vizinho comprar este produto?”

Com isso foram criados os primeiros monopólios.

Uma vez que certo produto possuía a exclusividade de ser fabricado dentro do país, muitas empresas se especializaram nesse produto e dominaram o mercado da época com o respaldo do rei, que proibia a entrada de produtos estrangeiros.

Cada polegada de chão deve ser trabalhada!

Essa frase é uma famosa referência ao pensamento dos monarcas da época. Acreditava-se que para um país prosperar, era necessário se utilizar de todos os espaços disponíveis para produzir algum bem, seja na agricultura, nas fábricas, nos serviços ou no comércio.

A população também era utilizada como um bem inestimável! “País bom é país com todo homem saudável trabalhando ou servindo o exército” diziam os reis.

Terra à vista!

Como tudo que é bom dura pouco, os metais preciosos da época também foram se esgotando à medida que as minas eram exploradas. Então o que fazer para conseguir mais desses bens preciosos e manter o país crescendo?

Vamos nos jogar ao mar em busca de lugares inexploráveis e ver o que encontramos lá!

Isso mesmo, as grandes navegações se deram pela necessidade de novos recursos às nações desenvolvidas. Bom, o resto da história você conhece! Os colonizadores descobriram diversas novas regiões cheias de ouro e prata, além de bens naturais que eles puderam enviar às suas nações e assim gerar mais riqueza a elas.

E assim o novo ditado era “País bom é país com muita colônias!”

E ai, identificou um pouco desse artigo com o nosso Brasil? Espero que sim!

Nosso país até hoje realiza a prática de protecionismo internacional e também tem como pilar da política econômica  a balança comercial favorável.

Por isso economia é tão interessante e importante… ela conta a história e origem de TUDO, ou quase tudo…

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

2 COMMENTS

Deixe uma resposta