MODELO DE DIVERSIFICAÇÃO DE CARTEIRA DE BANDAS FIXAS.

Tempo de leitura: 7 minutos

Modelo de Diversificação de Carteira de Bandas Fixas

Este artigo é um complemento do material desenvolvido para a Planilha de Controle Financeiro do Grupo sem Segredos.  Para acessar o manual da planilha e realizar o seu download gratuitamente basta clicar aqui.

Neste artigo, introduziremos você ao modelo de gestão de patrimônio utilizado na planilha conhecido como Modelo de Diversificação de Carteira de Bandas Fixas, modelo este que auxilia o pequeno investidor a controlar sua cesta de investimentos de forma simples e eficaz.

Na aba de “Investimentos” da planilha, o investidor irá se deparar com o seguinte layout:

PLANILHA 8 - INVESTIMENTOS

Para deixar claro qual a utilidade de cada campo da imagem acima, confira a legenda com suas seguintes explicações:

A) Plano inicial: Valor de quanto dinheiro você possui na data 0 para investir, ou seja, no momento em que você começou o seu planejamento financeiro.

B) % Inicial: Esta é a primeira parte no preenchimento da planilha para o correto uso do método de bandas fixas. Ao preencher este campo, você estará informando à planilha quantos % do seu capital você deseja ter em cada investimento.

Caso você não possua um referencial de como montar a proporção de sua carteira de investimentos, nós recomendamos que você siga os seguintes valores:

Poupança:

É sempre recomendado manter alguma parte do seu patrimônio na poupança, mesmo que este seja um investimento pouco rentável. Imprevistos financeiros podem ocorrer a qualquer momento e ter um fundo financeiro emergencial é de suma importância quando precisamos sacar valores de forma rápida e sem a incidência de impostos.

O ideal é que o percentual (%) da sua carteira alocado na Poupança seja algo em torno de 5% (mínimo) e 15% (máximo), com o número mágico sendo os famosos 10%.

LCI:

LCI é considerada um investimento seguro, bastante rentável, porém sem liquidez (clique aqui e leia nosso artigo sobre Risco, Rentabilidade e Liquidez). Então os valores alocados neste tipo de investimento não podem ser sacados a qualquer momento, estando eles disponíveis para saque no prazo mínimo de 12 meses.

Dessa forma, os valores alocados na LCI devem ser aquela parte do seu patrimônio financeiro que você não necessitará no curto prazo (menos de 365 dias). O percentual recomendado para cada tipo de perfil de investidor deve ser:

  • Conservador: 25% a 35% do total da carteira.
  • Moderado: 20% a 30% do total da carteira.
  • Arrojado: de 15% a 25% do total da carteira.

CDB:

O Certificado de Depósito Bancário é um investimento similar à LCI no que tange a rentabilidade e a segurança (ambos possuem um limite de risco de até R$ 250 Mil garantidos pelo FGC), sendo a principal diferença de que a CDB possui títulos onde a liquidez é diária, ou seja, você pode resgatar seu dinheiro a qualquer momento, porém com a cobrança de impostos na hora do resgate (a LCI não possui a incidência de impostos).

O percentual recomendado para cada tipo de perfil de investidor deve ser:

  • Conservador: 25% a 35% do total da carteira.
  • Moderado: 20% a 30% do total da carteira.
  • Arrojado: de 15% a 25% do total da carteira.

Tesouro Direto:

Este tipo de investimento é também bastante rentável e seguro, podendo haver títulos com ou sem liquidez. Nós do Grupo sem Segredos estamos preparando um material exclusivo com tudo sobre o Tesouro Direto, mas enquanto ele não fica pronto, você pode acessar o próprio site deles, onde existem uma infinidade de informações para quem quer investir neste tipo de ativo: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto

O percentual recomendado para cada tipo de perfil de investidor deve ser:

  • Conservador: 30% a 40% do total da carteira.
  • Moderado: 25% a 35% do total da carteira.
  • Arrojado: de 15% a 25% do total da carteira.

Ações:

As ações são investimentos de alto risco, que podem dar aos investidores uma ótima rentabilidade, mas também um grande prejuízo. Para aprender TUDO sobre o mundo do mercado financeiro de ações, você pode baixar nosso eBook Guia Prático de Análise de Investimentos, onde mostramos o passo a passo para você se dar bem na Bolsa de Valores.

O percentual recomendado para cada tipo de perfil de investidor deve ser:

  • Conservador: 0% a 10% do total da carteira.
  • Moderado: 10% a 20% do total da carteira.
  • Arrojado: de 20% a 50% do total da carteira.

Demais investimentos:

Você ainda pode complementar a sua carteira com diferentes tipos de investimentos, dentre eles ETFs, FDICs, CDS, Derivativos, Fundos Imobiliários e também Fundos de Investidores.

Para ler a respeito sobre cada um desses ativos, basta clicar em seus nomes acima e conferir o artigo que nós escrevemos para cada um deles.

Modelo de Diversificação de Carteira de Bandas Fixas

Os itens C, D e E são o cálculo propriamente dito no modelo de bandas fixas utilizado como parâmetro para gestão de patrimônio da Planilha. Sua metodologia se dá na seguinte forma:

a) Percentuais iniciais: primeiramente define-se quanto cada ativo financeiro irá representar percentualmente do total da sua carteira, conforme estimativas listadas acima para diferentes ativos (ações, LCI, CDB e etc.).

b) Faixa de tolerância: define-se qual a variação máxima que os percentuais iniciais podem variar. Por exemplo:

Um investidor possui R$ 20.000,00 para investir e decide alocar R$ 5.000,00 em LCI, sendo que isto representa 25% do seu patrimônio (25% de R$ 20 Mil). Esse investidor quer que a LCI represente, na média, esses 25% constantemente, podendo variar 20% para mais ou para menos.

Dessa forma, devemos aplicar 20% (que é a faixa de tolerância) sobre os 25% (que é o percentual inicial do meu investimento), ficando assim:

PLANILHA 17- INVESTIMENTOS

Dessa forma, nosso capital alocado em LCI poderia variar +5% ou -5%, totalizando R$ 6.000,00 no máximo e R$ 4.000,00 no mínimo.

Mas o que acontece se eu ultrapassar esse valor para cima ou para baixo?

Quando você ultrapassar as bandas estipuladas (no nosso caso de +-5%), a planilha irá colorir o número na coluna E (V%) informando que o valor estipulado inicialmente foi violado. Dessa forma, você deve realocar e corrigir o proporcional de seu capital (dinheiro) nos investimentos que estiverem com mais ou menos participação percentual, de tal modo que a coluna D e a coluna B estejam o mais próxima possível.

Qual a faixa de tolerância (%) que eu devo escolher?

No nosso exemplo utilizamos 20% como faixa de variação percentual aceitável, mas esse valor pode ser alterado conforme sua necessidade.

Quanto maior o percentual escolhido, maior também serão as bandas de variação “para mais” e “para menos”, ou seja, você aceitará que seus investimentos variem bastante e que a correção frente o % inicial não ocorra sempre.

Da mesma forma ocorre quando você coloca uma faixa de variação reduzida (abaixo de 15%). Com um percentual de variação pequeno, você se verá obrigado a quase sempre ter de realocar seus investimentos e corrigir seu capital, afinal as colunas D e B estarão quase sempre distintas.

De forma resumida, o percentual recomendado para cada tipo de perfil de investidor deve ser:

  • Conservador: 30% a 40% do total da carteira.
  • Moderado: 20% a 30% do total da carteira.
  • Arrojado: de 10% a 20% do total da carteira.

OBS1: não recomendamos colocar uma faixa acima de 40%, uma vez que as bandas serão tão espaçadas que raramente você realizará a correção de sua carteira.

OBS2: recomendamos fortemente que sua faixa fique entre 20% a 25%, um valor que foi testado ao longo de anos por nós do Economia sem Segredos e que acreditamos ser o mais adequado à maioria dos pequenos e médios investidores.

PLANILHA DE CONTROLE FINANCEIRO SEM SEGREDOS!

Para baixar sua planilha gratuitamente basta clicar AQUI!

(O link acima dá direito ao download sem custos da versão gratuita da planilha. Para adquirir a versão completa com todos os recursos descritos abaixo clique aqui). Espero que tenha gostado!

Até a próxima!

Deixe uma resposta