Inflação – O que é? Como calcular?

Inflação – O que é? Como calcular?

345
29
SHARE

Se você acompanha algum jornal pela TV ou lê alguma revista semanal certamente já ouviu falar sobre inflação. Toda semana nos mais diversos jornais da TV passam uma notícia relatando o aumento, o acúmulo ou qualquer coisa relacionada com IPCA, IGP, IGP-M e etc. Afinal, o que é a inflação e como ela nos afeta?

Bom, vamos começar com a definição de inflação. Inflação é nada mais nada menos que a perda do valor do dinheiro. Pareceu fácil demais esta definição? Bom, vamos então expandir sua visão! A inflação é quando o valor do dinheiro é desvalorizado assim diminuindo seu poder de compra, como no exemplo:

Todo mês um trabalhador recebe R$100,00 por seu trabalho e com este dinheiro compra um saco de feijão por R$10,00. Nos jornais é anunciado que a inflação deste país é de 10% ao mês. No mês seguinte, este mesmo trabalhador quando for comprar seu saco de feijão vai encontrar seu preço a R$11,00. Mas porque ouve este aumento? O que houve foi que a inflação reajustou o valor do alimento em 10% (10% x R$ =10,00 = R$1,00) enquanto que o salário do trabalhador manteve-se em seu valor antigo. Podemos assim concluir que o poder de compra deste trabalhador diminuiu devido ao aumento do preço dos alimentos.

Ao final deste ano, levando em conta a inflação de 10% ao mês, teremos uma inflação de 213,85% ao ano (10% em cada um dos meses é cumulativo e calculado de forma composta) elevando o preço daquele saco de feijão para R$31,38!!

Se olharmos para a inflação individualmente podemos nem achar ela assim tão significante, mas ao olharmos anualmente vemos que ao final de 12 meses com o valor de R$31,38 comprava-se três sacos de feijão no primeiro mês. Como nossos salários não são reajustados mensalmente temos esta perda no valor de nosso dinheiro e por consequência diminuímos nossa capacidade de compra.

No Brasil temos alguns índices que medem a inflação. Vamos falar do índice que é o mais utilizado sendo base para o controle de inflação do governo, o IPCA (índice nacional de preços ao consumidor amplo) .

Este índice calculado pelo IBGE e avalia o custo de vida das famílias com renda mensal entre um a quarenta salários mínimos compreendidas nas regiões metropolitanas de Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Distrito Federal, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Para conhecer outros índices de inflação clique aqui.

Já para entender como funciona o contrário da inflação, clique aqui para ler sobre a deflação!

Bom, agora com esta visão maior do que é a inflação e como ela interfere em nossa vida podemos compreender melhor o aumento do custo dos produtos que compramos e consumimos.

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

29 COMMENTS

  1. […] Inflação é claro! Quando há mais oferta que demanda o valor da mercadoria tende a se desvalorizar, e isso acontece também com o dinheiro. Se por exemplo um saco de arroz custa cinco reais e um trabalhador ganha cinco reais para comprar este saco a economia esta balanceada. Mas e se fossem emitidos mil reais e colocados na mão da população em geral sem que houvesse maior produção de sacas de arroz? O saco de arroz ainda custaria cinco reais, mas o excesso de dinheiro tornaria este produto barato. Depois de um tempo os vendedores de arroz perceberiam o crescimento na renda da população e então aumentariam seus preços fazendo assim aumentar a inflação, pois houve aumento no preço de um bem sem que este tenha sido gerado em maiores quantidades. […]

  2. […] A inflação é ruim e realmente consome nosso dinheiro, mas é também algo que não se pode segurar nas mãos. O governo tem meios econômicos de tentar manter a inflação controlada através de sua política monetária e assim tem agido para nos deixar protegido deste “monstro”. Um governo que camufla sua inflação e a controla de forma ilusória para demonstrar um nível menor é um governo que não respeita seus cidadãos e não corresponde com a verdade. Infelizmente temos visto uma situação assim na Argentina, aonde a inflação divulgado pelo governo é muito abaixo das que são calculadas por institutos especializados e da que a população sente no bolso. […]

  3. […] Quando vamos escolher um investimento temos que observar certos pontos para que no futuro nós não passemos raiva ou necessidade financeira. Por exemplo, investir na poupança é um investimento seguro, pois o governo garante até 70 mil reais caso o banco quebre, ele é um investimento líquido porque posso sacar o meu dinheiro a qualquer momento em qualquer caixa eletrônico, porém ele não é muito rentável. Hoje a poupança rende apenas 70% da Selic (7,25%) mais a taxa referencial que está quase zero de rendimento, ou seja, nem da para cobrir a inflação. […]

  4. […] Inflação é claro! Quando há mais oferta que demanda o valor da mercadoria tende a se desvalorizar, e isso acontece também com o dinheiro. Se por exemplo um saco de arroz custa cinco reais e um trabalhador ganha cinco reais para comprar este saco a economia esta balanceada. Mas e se fossem emitidos mil reais e colocados na mão da população em geral sem que houvesse maior produção de sacas de arroz? O saco de arroz ainda custaria cinco reais, mas o excesso de dinheiro tornaria este produto barato. Depois de um tempo os vendedores de arroz perceberiam o crescimento na renda da população e então aumentariam seus preços fazendo assim aumentar a inflação, pois houve aumento no preço de um bem sem que este tenha sido gerado em maiores quantidades. […]

  5. […] Quando vamos escolher um investimento temos que observar certos pontos para que no futuro nós não passemos raiva ou necessidade financeira. Por exemplo, investir na poupança é um investimento seguro, pois o governo garante até 250 mil reais caso o banco quebre, ele é um investimento líquido porque posso sacar o meu dinheiro a qualquer momento em qualquer caixa eletrônico, porém ele não é muito rentável. Hoje a poupança rende apenas 70% da Selic (7,25%) quando ela está em 8,5% ou menor mais a taxa referencial que está quase zero de rendimento, ou seja, quase nem da para cobrir a inflação. […]

  6. Obrigada! Eu não fazia ideia do que é inflação e todos os sites só explicam de jeitos cheios de eruditismo e termos técnicos. Ajudou muito!

  7. […] A inflação é ruim e realmente consome nosso dinheiro, mas é também algo que não se pode segurar nas mãos. O governo tem meios econômicos de tentar manter a inflação controlada através de sua política monetária e assim tem agido para nos deixar protegido deste “monstro”. Um governo que camufla sua inflação e a controla de forma ilusória para demonstrar um nível menor é um governo que não respeita seus cidadãos e não corresponde com a verdade. Infelizmente temos visto uma situação assim na Argentina, aonde a inflação divulgado pelo governo é muito abaixo das que são calculadas por institutos especializados e da que a população sente no bolso. […]

Deixe uma resposta