FUNÇÕES DO GOVERNO – POLÍTICA ECONÔMICA, FISCAL E MONETÁRIA.

Tempo de leitura: 4 minutos

Um personagem importante na economia de todo país é o governo, sendo ele responsável por analisar, planejar e aplicar suas políticas a fim de tentar conciliar o interesse de todos os envolvidos no ambiente econômico.

Um dos temas mais acompanhados pelo governo é a inflação, a qual em níveis baixos afeta o crescimento do PIB do país e em níveis elevados compromete o poder de compra da população.

Neste artigo vamos entender como o governo atua através de suas políticas. Vamos ao tema.

Funções do governo – Política Econômica, Fiscal e Monetária.

O governo controla a inflação através de diversos instrumentos e tenta manter a taxa inflacionária sempre no centro da meta, valor estipulado no começo de cada novo governo. Porém, certamente ficou uma dúvida em sua cabeça de como o governo manipula não só a inflação, mas a economia brasileira como um todo.

Bem, primeiro acho importante saber quais são as funções do governo e o porquê dele interagir com o mercado. Para dizer de uma forma bem clara: o governo atua no mercado pois o mercado sozinho possui falhas que fazem necessária a presença do Estado.

Sabendo que o governo necessita atuar na economia podemos definir à ele três funções básicas para que a economia nacional ande nos trilhos:

  • Função distributiva: consiste na redistribuição de renda, sendo que a maioria vem dos valores pagos nos impostos por todos os brasileiros. Esta função permite que o governo repasse parte do que foi recolhido para serviços de bem comum, como educação e saúde. Ela se chama distributiva pois ela destina seus recursos a serviços públicos que são geralmente utilizados por pessoas de menor renda.

 

  • Função alocativa: como o nome já diz, é a alocação dos recursos no oferecimento de bens e serviços públicos de uso geral, como rodovias, educação, infraestrutura e etc..

 

  • Função estabilizadora: é agir ativamente no mercado diante de suas falhas promovendo através das políticas públicas o pleno emprego, o desenvolvimento econômico e social, estabilidade econômica e etc.

Basicamente os recursos do governo vêm dos impostos recolhidos e dos subsídios governamentais. A respeito dos impostos podemos dizer que eles seguem algumas regras, podendo citar dentre estes conceitos:

a) Equidade: pagamento de uma quantia justa por cada contribuinte.

b) Progressividade: quanto mais renda possui o contribuinte, maior deve ser sua contribuição.

c) Simplicidade: os impostos devem ser cobrados de forma simples a fim de reduzir custos.

d) Neutralidade: os impostos não devem desestimular os investimentos e o consumo.

Dito tudo isto podemos chegar ao ponto principal do artigo, as políticas que o governo utiliza no controle da economia. Dentre as várias que ele possui para esta finalidade, vamos abordar duas que eu acho de extrema importância, a política fiscal e a política monetária.

Política Fiscal

Muito utilizada pelo governo brasileiro, a política fiscal serve para balizar os tributos cobrados dos contribuintes e também para ajustar os gastos governamentais com o objetivo de conter a inflação ou combater crises.

A política fiscal atua de duas formas:

      • Política expansiva: quando a economia está desacelerada, as empresas estão com a produção lenta e o consumo está baixo. O governo então diminui a tributação em alguns produtos para estimular o consumo e assim fazer que as empresas girem seus estoques. O governo também aumenta os impostos de importação criando barreiras para beneficiar os produtos nacionais.
      • Política restritiva: quando há mais demanda que oferta, os preços sobem e as empresas não dão conta da produção. O governo então aumenta a tributação sobre certos produtos para frear o consumo e diminui as barreiras às importações para conseguir dar conta da demanda.

Política monetária

Uma ferramenta importante do governo, ela possui a função de manter a estabilidade monetária do país. Através da política monetária o governo objetiva o crescimento econômico e o superávit comercial.

Para isto o governo possui três grandes instrumentos: a) operação de redesconto em bancos comerciais, b) operações de venda e troca de títulos no mercado e c) alteração no percentual de depósito compulsório (que disponibiliza mais ou menos dinheiro no mercado).

A política monetária baseada nestes três instrumentos atua de forma expansionista ou restritiva para poder alcançar seus objetivos.

Para saber mais sobre os instrumentos da política monetária (principalmente sobre depósito compulsório)? Clique aqui!

E assim fechamos nosso artigo sobre a atuação do governo na economia. Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

8 Comentários








  1. Denis você não colocou o dedo na ferida! Onde está seu posicionamento diante dos absurdos praticados pelos Governos (PT e PSDB) ao longo dos últimos 20 anos a mando dos donos do dinheiro que controlam o mercado financeiro no Brasil? Você não vai explicar que esse mundo ideal dos livros “didáticos” usados na faculdade de economia não existe? Não vai dizer que o tripé macroeconômico e a nova matriz econômica, os dois lados da mesma moeda, pois elevaram a dívida pública de 50 bilhões no fim do Governo Itamar Franco (início do plano real) para 3.700 bilhões (3,7 trilhões) no governo da presidanta? Não vai dizer que a nossa política fiscal não é redistributiva na medida que os mais pobres pagam, proporcionalmente, mais impostos? Não vai contar que a nossa política monetária criou a maior taxa de juros do planeta? Não vai contar que, por isso, metade do preço de cada produto vendido no brasil são juros acumulados na cadeia produtiva? O nosso único problema é que o povo não sabe o quanto é profunda a ferida e muito menos entende que a ferida está na vida de cada um dos escravos deste país que trabalham 9 meses do ano para pagar impostos e juros! E só para não perder a oportunidade de entrar na microeconomia a taxa de juros do cartão de crédito no Brasil é 6.000% maior que nos Estados Unidos. E a maior taxa de juros do crédito pessoal no mundo é cobrada pela CREFISA 800% ao ano! Para mais informações sobre a escravidão financeira leia: https://www.linkedin.com/pulse/voc%C3%AA-sabia-que-existe-um-pa%C3%ADs-escravizado-pelo-sistema-sotero?trk=prof-post

    Responder

    1. Olá Frederico!

      Nós do Grupo sem Segredos somos apartidários e tentamos sempre demonstrar através da teoria econômica conceitos considerados “difíceis” da forma mais simples e didática possível. Em nossos artigos evitamos o máximo apontar dedos para partidos políticos, até porque, temas como este possuem diferentes tipos de leitura e visão política, que podem apontar para o resultado A, B ou ainda C.

      No mais, existem diversos artigos que falam sobre a dívida pública, impostos abusivos cobrados em nosso país, redistribuição de renda e muitos outros temas citados por você. Para acessá-los, basta buscar em nossa barra de pesquisa as tags (temas). Espero ter ajudado.

      Um forte abraço.

      Denis Ferreira

      Responder

Deixe uma resposta