Série Pensadores, Carl Menger.

Série Pensadores, Carl Menger.

83
0
SHARE

Dando continuidade a nossa série de economistas famosos, vamos falar neste artigo sobre um economista que mudou o modo de enxergarmos o valor dos produtos e dos serviços que nós adquiríamos através de sua teoria.

No capítulo de hoje vamos contar um pouco sobre a vida de Carl Menger.

Carl Menger (1840 – 1921)

O economista Carl Menger nasceu em Galícia, antigo território que fazia parte do império Austro-Húngaro (hoje sul da Polônia). Sua família era bem afortunada sendo o seu pai um grande advogado.

Ele e seus irmãos tiveram uma infância regada de cultura e acesso às boas escolas e por conta disso, praticamente todos se tornaram destaques nas áreas em que desenvolveram suas carreiras.

Apesar de mais tarde ser reconhecido mundialmente como um grande economista, o início de seus estudos foram voltados ao Direito na Universidade de Praga e Viana, curso este em que se doutorou posteriormente na Universidade de Cracóvia. Após um tempo, Menger retorna a sua antiga universidade e se torna professor na Universidade de Viena.

Após deixar a área acadêmica, Carl Menger se dedicou por um período ao jornalismo, onde teve maior contato com a área econômica pela qual tomou gosto.

Estando na redação do jornal, Menger foi inserido na realidade econômica do dia a dia e com isso obteve significativos conhecimentos que anos depois foram a base de seus estudos teóricos.

Ainda jovem, e após anos e anos de estudos acadêmicos, Menger publica seu primeiro livro chamado “Princípios da Economia Política”. Tal qual Ludwig Von Mises, Carl Menger foi tutor de um jovem príncipe o qual se lançou junto a viagens por toda Europa em busca de novos conhecimentos e desenvolvimento para o jovem Príncipe Rodolfo da Áustria, herdeiro do rei da Áustria.

Junto de seu aprendiz, percorreu durante dois anos os mais diversos países fomentando sua teoria que seria sua maior contribuição ao mundo econômico. Mais tarde o pai do príncipe, o imperador Franz Joseph propôs ao economista assumir uma cadeira na academia de economia e política de Viena.

Tal já era sua notoriedade e fama na época, quando retornou à universidade para lecionar novamente, Menger atraiu milhares de estudantes que queriam ouvir suas ideias acerca da nova ordem de economia mundial, que fugia daquela defendida pelos antigos economistas.

Em 1883 lançou o livro “Investigações sobre o Método das Ciências Sociais com especial referência à Economia Política”, livro este que reunia suas ideias acerca de um modelo de economia baseada no liberdade.

A partir de então, Carl Menger ficou conhecido como o fundador da Escola Austríaca de Pensamento Liberal, uma linha de pensamento econômico que pregava a liberdade de todas as formas de tal modo que os homens fossem livres para buscar aquilo que lhes mais fosse vantajoso, sem a coerção e intromissão do governo.

A teoria da utilidade marginal

Não se pode creditar todo o mérito desta teoria a Menger, uma vez que ela foi surgindo simultaneamente em diversas partes do mundo ao mesmo tempo pelas mãos de outros economistas como Léon Walras e Willian Jevons. No entanto, a maioria das pessoas acredita que a maior contribuição partiu de Carl.

Em uma época que diversos economistas divergiam sobre como devia ser mensurado o preço e o custo das mercadorias e produtos produzidos, uns diziam ser necessário avaliar o total de custos para produzir tal produto enquanto que outros avaliavam seu valor através das horas empenhadas na sua produção.

Foi quando Menger propôs a teoria em que determinado produto possuía determinado preço baseado no valor que as pessoas davam a ele.

A teoria consistia em mostrar que, uma vez que cada pessoa enxerga a vida através de suas experiências, o valor de determinado bem pode variar para cada um de nós, sendo o preço justo aquele que o comprador estiver disposto a pagar.

Se um casaco de lã vale mais para mim, que mora em uma região fria do país, do que para você que mora em uma região quente, é mais do que certo que eu estarei disposto a pagar mais pelo casaco do que você.

Também nos foi mostrada a ideia de utilidade marginal, a qual nos diz que, quanto mais temos ou consumimos determinado bem, menor é a importância dada a eles.

Essa teoria é a clássica resolução do problema da água versus o diamante onde o autor faz uma comparação entre esses dois itens. Apesar de a água ser extremamente útil a todos nós e de grande necessidade, por termos ela em grandes quantidades não damos a mesma importância para água que damos a um diamante, que de fato não nos serve para nada e tem seu elevado valor demonstrado por sua escassez.

Com esta teoria, Menger e outros economistas demonstraram que o valor das coisas é mutável e depende do comprador e não do mercador estabelecê-lo.

(Nós temos um artigo completo sobre a Lei da Utilidade Marginal. Para acessá-lo clique aqui).

Então é isso. Esta foi a segunda parte da série de Pensadores que mudaram a visão econômica do mundo.

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos! Até a próxima.

NO COMMENTS

Deixe uma resposta