Sociedade, nosso papel político, econômico e social.

Sociedade, nosso papel político, econômico e social.

250
6
SHARE

Embalado pelo meu último artigo sobre socialismo fiquei tentado a escrever um pouco mais sobre nossas responsabilidades como devidos cidadãos. Arrisco neste artigo a ser um pouco filosófico e por que não utópico.

Sociedade, nosso papel político, econômico e social.

Sempre achei, desde pequeno, que uma sociedade era como uma máquina com suas pequenas engrenagens e, tal qual uma máquina em bom funcionamento, uma sociedade só funcionaria se cada um fizesse o seu papel com maestria desenvolvendo não só a si mesmo como também a quem estivesse ao seu redor (direta ou indiretamente).

Como meu amigo Adam Smith disse:

“Não é da benevolência do cervejeiro, açougueiro ou padeiro que devemos esperar nosso jantar, mas da consideração que eles têm pelo próprio interesse.”

Traduzindo a famosa frase acima temos que a individualidade move o todo, ajuda a sociedade e nos desenvolve.

Mas como contribuir para o meio em que vivemos? Como efetivamente produzir algum bem que transforme e beneficie todos à minha volta? Bom, isso varia para cada um como resposta e acredito que todos nós temos que batalhar para encontrar nossa posição na sociedade.

Entretanto, acredito que todos nós temos funções básicas e deveres mínimos a serem cumpridos. Você provavelmente já ouviu muito a frase “Eu conheço meus direitos”, mas quantas vezes ouviu a “Eu conheço meus deveres”?

Fiscalização, nosso maior papel político.

Vem ano, passa ano. Vem eleição, passa eleição.

No Brasil já participei de várias eleições e desde a primeira (na qual fiquei muito feliz e emocionado por participar) senti o poder do voto nas mãos. Um voto, sim, mas parte de muitos que podiam impor nossa opinião e desejo de mudança.

Infelizmente em nosso país as eleições são vistas por muitos como um evento chato, algo sem graça, obrigatório e desmotivador.

Pode até ser, mas quem vê a eleição assim provavelmente não acompanha as mudanças políticas que o país passou e vem passando. A descrença da população nos candidatos políticos é tão grande que os eleitores desacreditam que a mudança acontecerá, independente de quem ganhar.

Mas ora, esta descrença e a falta de interesse em política alimenta por si só este sistema de corrupção. Se quem vota não lembra em quem votou acaba por não cobrar, se não cobra não faz pressão para que o candidato que você elegeu através do voto concretize suas promessas de campanha e se ele não realiza suas promessas nada de bom acontecerá.

Em alguns países europeus que eu conheci, a população é engajada de uma forma tão forte em política que não raramente se vê o tema sendo debatido nas mesas de bares e nos almoços de famílias.

Lá a população entende seu papel na democracia e faz valer seu voto, sua voz, assim demonstrando aos seus governos seus anseios e vontades através da pressão popular.

Se lá a população se educou, aqui não pode ser diferente! Do próprio governo, seja qual partido que for, não irá acontecer o estímulo. Ignorância é o rebanho dos fortes, então temos que começar por nós mesmos a ficar mais inteirados sobre política e fiscalizar de forma ativa a administração pública.

Economia e o poder de cada um.

Como dito em outros artigos, a microeconomia é a parta da ciência econômica que estuda os indivíduos econômicos de uma sociedade, ou seja, nós os habitantes de um país.

Somos todos uma pequena engrenagem em uma grande máquina, a macroeconomia, e uma vez como engrenagens fazemos parte de um processo enorme que forma a economia do país.

Consumir, trabalhar, produzir, gastar… tudo isso afeta a economia de um país, mas diferente do que muitos pensam o Capitalismo não quer que gastemos todo nosso dinheiro comprando no shopping e fiquemos endividados e pobres.

Parte das vantagens de se formar um capital está na poupança, no investimento, no crescimento e desenvolvimento econômico. Uma empresa que só gasta seu dinheiro sem produzir algum bem de valor não vai longe. Uma que pegue todo seu dinheiro e deixe parado na conta bancária também não.

As empresas reaplicam seus recursos em investimentos, sejam nelas mesmas, sejam numa cadeia produtiva muito maior.

Não importa aonde vai esse investimento, o que eu quero demonstrar é que todo este dinheiro aplicado em um projeto volta para a sociedade, seja na forma de novos produtos, na forma de produtos melhores, mais baratos e etc.. Uma empresa não deve ser encarada como uma vilã que rouba o trabalho das pessoas, pagam mal a elas e depois ficam com todo o lucro.

Claro que há empresas deste jeito, mas essas são empresas ruins. Não podemos nem devemos generalizar este pensamento arcaico.

Devemos entender que vivemos em um planeta com bens escassos, portanto é burrice acreditar que as empresas destroem tudo sem pensar no amanhã, quando que se isso fosse verdade, elas estariam se matando uma vez que estariam destruindo seu próprio meio de exploração de recursos.

Há diversos órgãos extremamente sérios que fiscalizam a exploração dos recursos naturais no mundo todo e que concedem licenças e selos de qualidade às empresas que conseguem melhor gerir seus bens.

Há até um demonstrativo contábil chamado DVA, que significa Demonstrativo de Valor Adicionado, demonstrativo este que mostra o quanto a empresa contribuiu para uma sociedade melhor.

Cidadãos, direitos e deveres.

Decididamente é uma ferida tocar neste assunto. Quem quer ser apontado e criticado por algo que fez de errado? Eu certamente não quero, mas é ai que está… às vezes precisamos de alguém fazendo isto.

Em uma reportagem que vi tempos atrás em um canal de TV aberto, eram convidadas pessoas aleatórias na rua para fazer uma entrevista de emprego na qual iriam trabalhar para um político corrupto. Quase todas as pessoas que foram selecionadas aceitaram praticar algum tipo de corrupção, seja ela pequena ou grande, desde fazer boca de urna até votar no lugar de alguém que vendeu o voto.

Entendeu meu ponto? Quase todos nós ficamos indignados quando vemos nos telejornais que os políticos roubaram milhões de reais dos cofres públicos, mas quando somos convidados a participar da roubalheira esquecemos nossos valores? Nem todos se dobrariam a tal proposta, mas e os que sim… isso já estraga todo um sistema.

E não é só de dinheiro que a corrupção se trata. Basta ficar próximo a um local com retirada de senhas e você verá diversas pessoas pegando senhas preferenciais sem precisar, ou simulando algum problema para estacionar numa vaga reservada dentre outros exemplos. Até no trânsito há corrupção.

Quem passa no sinal vermelho, fura filas, dirige em alta velocidade, bêbado, com o celular e depois tenta dar aquele cafezinho pro guarda está fazendo o que? Isso mesmo… corrompendo um sistema, realizando corrupção pura!

Temos que antes nos conscientizar e entender que os políticos são um reflexo da população. Se tivermos consciência e conhecimento, vamos deixar de votar mal e assim escolher e cobrar mais e melhor de nossos representantes.

Um sonho meu que compartilho com vocês!

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

SHARE
Previous articleSocialismo - O que é?
Next articleConsumo - O que é?
Graduado em Ciências Contábeis, possui MBA em Investment Banking e está agora iniciando seu mestrado em economia. Atualmente trabalha no mercado financeiro e escreve os blogs com o objetivo de ajudar as pessoas a conhecerem um pouco mais acerca do mundo econômico, contábil e administrativo e sobre tudo o que isto implica.

6 COMMENTS

  1. Gosto de ler seus textos e, embora discorde de seus posicionamentos, tenho apreço por bons argumentos. Mas nesse, e no texto sobre o socialismo, demonstrou que tem pouquissima leitura nos temas. Normal, conheço pouco do pensamento liberal, mas vale a dica de aprofundar um pouco na leitura pra não compremeter seu tramabalho.

    • Olá Garcia! Obrigado por comentar nossos artigos!

      Apreciamos que você acompanhe e goste de nossas opiniões, apesar de não concordar com todas elas. O passo mais importante para o aprendizado é sempre estar atento aos dois lados de um mesmo tema.

      Sobre nosso posicionamento sobre o socialismo, devido a nossa visão liberal, talvez tenhamos visões bem diferentes e que, para você, pareça um tanto quanto incompleta ou com pouco embasamento. Mesmo assim, agradecemos o comentário e gostaríamos de fazer um convite para você continuar acompanhando o blog e sempre comentar quando achar interessante ou propício.

      Um grande abraço da equipe “Sem Segredos”.

      Denis Ferreira
      Editor chefe

  2. Já estou lendo seus artigos há algum tempo e admiro a objetividade e clareza com o qual você os redige. Parabéns e muito obrigada!

Deixe uma resposta