Spread Bancário – O que é e como calcular?

Spread Bancário – O que é e como calcular?

490
12
SHARE

Muito se fala que os bancos são grandes corporações milionárias que vivem à custa dos mais pobres que deixam seu dinheirinho todo mês lá e que seus lucros são malignos e maliciosos. Não é bem assim!

Sim, os bancos realmente possuem lucros gigantescos, mas para e pense: há todo um custo que ele tem para gerir seus negócios e administrar milhões de clientes. Acreditar que todo o dinheiro que entra no banco já é convertido em lucro não tem o menor sentido.

Mas… Você sabe de onde vem o lucro do banco? A resposta está no título. Sim, o spread bancário é a forma de um banco lucrar com suas diversas operações.

Para entendermos o que é o spread e como ele gera lucros primeiramente temos que ter em mente que o dinheiro é uma mercadoria, e o que o banco faz é comprar e vender dinheiro e que o preço do dinheiro são os juros (clique aqui para entender os juros).

Certo, agora que entendemos estes conceitos podemos fazer uma comparação dos bancos com uma loja de camisas:

Para obter lucro, o dono da loja de camisas compra um lote de 100 camisas de um fornecedor por um preço fictício de R$10,00 cada camisa totalizando R$1.000,00 em produtos. Se esta loja vender suas camisas a R$10,00 cada não obteve nenhum lucro, pois vendeu exatamente pelo mesmo preço que comprou seus produtos, então neste exemplo não houve vantagem para o dono e por isso provavelmente esta loja fecharia as portas.

Para haver vantagem para a loja as camisas precisam ser vendidas por um preço maior do que o preço que foi pago por elas na compra. Neste preço tem que estar embutido, por exemplo, o valor do aluguel que a loja paga, o salário dos funcionários, os impostos, e é claro o lucro que faz querer o dono manter sua loja.

Em um banco isto também acontece através do spread bancário.

Spread é a diferença do valor que o banco paga para captar recursos (quem coloca dinheiro na poupança, por exemplo) e para repassar estes recursos (quem pede um empréstimo imobiliário, por exemplo). É a diferença da “compra” e “venda” de dinheiro.

Se enquanto você investe R$100,00 no banco e ele te paga 10% a.a. de juros por este investimento, ao repassar estes R$100,00 em um empréstimo a alguém ele cobra o valor de 35% a.a. de juros, sendo esta diferença do que ele paga na captação e o que cobra num empréstimo o spread bancário.

Mas estes 25% de diferença não são somente lucros. O banco também embute no spread seus custos como administração, impostos pagos ao governo, inadimplência (risco do calote) e claro sua margem de lucro.

Ah, os bancos também ganham dinheiro multiplicando e criando dinheiro!! Quer saber como? Clique aqui e descubra.

Pronto, agora quando você ouvir sobre spread bancário você já pode opinar com mais convicção.

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

12 COMMENTS

  1. […] Spread: Spread é a diferença do valor que o banco paga para captar recursos (quem coloca dinheiro na poupança, por exemplo) e para repassar estes recursos (quem pede um empréstimo, por exemplo). É a diferença da “compra” e “venda” de dinheiro. […]

  2. […] Como dito em outro artigo (clique aqui) os bancos devem guardar uma parte dos depósitos captados junto aos clientes e emprestar o outro. A diferença entre os juros de captação de dinheiro e o repasse nos empréstimos é chamado de spread. […]

  3. Excelente conteúdo e de fácil interpretação com um belo exemplo! Meu amigo, você poderia me ajudar a esclarecer a seguinte pergunta, quais são os tipos de spreed e suas diferenças?

    • Olá Diogo!

      Obrigado por acompanhar o blog. Ficamos sempre felizes em ajudar!

      Sobre a sua dúvida, nós temos em nosso cronograma um artigo completo sobre Spread, quais são e suas características, que irá ao ar em duas semanas! Sendo assim, peço paciência e prometo que você será muito recompensando com o montante de conteúdo que colocamos no artigo sobre spread!!

      Um grande abraço.

    • Olá Emilio, a fonte básica dos recursos do banco são através de empréstimos. No entanto, os sócios e controladores dos bancos também podem colocar dinheiro “do bolso” alocando esses valores no Balanço Patrimonial, na conta contábil chamada “Capital Social”.

Deixe uma resposta