TAXA DE CÂMBIO – CONVERSOR DE MOEDAS.

Tempo de leitura: 3 minutos

O acesso a uma renda maior deu o poder, até antes inexistente, a uma classe que possui o desejo de consumir. Depois de algumas necessidades básicas preenchidas, o luxo e os gostos vêm em seguida clamando para serem saciados.

Quem nunca quis fazer uma viagem para outro país? Mas, e na hora de comprar neste país? Como sei quanto de dinheiro estrangeiro o meu dinheiro nacional vale? Então hoje vamos dar continuidade a um assunto que foi tratado lá atrás sobre moedas e meios de pagamento.

Vamos falar da taxa de câmbio é claro!

Câmbio, o conversor de moedas.

Para começarmos vamos deixar claro o que é este termo. A taxa de câmbio é um instrumento monetário que permite à troca de uma moeda de um país por moedas de outros países, ou seja, quando vamos para outros países que possuem moedas diferentes das aceitas em nosso país realizamos a troca de valores entre estas duas moedas.

Oficialmente, somente agentes autorizados podem realizar estas trocas uma vez que estes estão em constante atualização para saber as cotações de cada moeda em relação à outra.

Para avançarmos no assunto, vamos explicar alguns pontos principais:

O que é cotação?

Cotação é o valor de referência atribuído a determinada moeda que representa uma quantia em relação à outra moeda.

Vamos explicar: cotação é o valor de que você precisa de uma moeda X para trocar por moedas Y. Por exemplo, se o dólar vale 2,00 reais e eu quero comprar dez dólares, eu vou precisar de 20,00 reais.

Como são definidas estas cotações?

Para estipular os valores das moedas existem três tipos principais de cotação, são eles:

  • Câmbio fixo: no regime de câmbio fixo o valor da cotação é estipulado pela autoridade monetária e este é aceito por todas as instituições. O grande problema deste regime é que além da moeda estrangeira poder estar manipulada o governo necessita de uma reserva maior de moeda estrangeira para responder a demanda quando esta aumentar.
  • Câmbio flutuante: neste regime as cotações são definidas pelo mercado, ou seja, tudo depende da oferta e da demanda que o mercado exerce sobre a moeda. Quando a moeda é muito visada seu valor aumenta por conta da escassez e o contrário acontece quando a moeda é ofertada em excesso.
  • Bandas cambiais: este regime seria um mix dos dois regimes acima, pois neste regime a autoridade monetária estipula um valor de base e de teto para a cotação e permite que o mercado influencie dentro destas faixas. Por exemplo, quando o governo diz que a cotação ficará entre 1,80 e 2,10. O mercado possui a liberdade para trabalhar dentro destas faixas livremente, porém quando o teto/piso for alcançado o governo atua em cima da cotação para que esta fique dentro da meta.

Política cambial

A política cambial compete à administração da taxa de câmbio e controle de operações cambiais. Ela também é ligada à administração das importações, exportações, relações econômicas com o exterior e afins.

Então é isto. Quando for viajar, importar ou mexer com dinheiro estrangeiro você já sabe o porquê das diferenças de valores entre moedas. Gostou? Então compartilhe com seus amigos.

Até a próxima!

Deixe uma resposta