SINDICATO – O QUE É? PARA QUE SERVE?

Tempo de leitura: 5 minutos

Durante a Revolução Industrial, quando as primeiras grandes indústrias foram criadas, as condições de trabalho eram deploráveis e comprometiam a saúde física e mental dos funcionários da época, obrigando estes a longas jornadas de trabalho sem nenhum aparato.

Contra este abuso histórico, funcionários e simpatizantes se uniram em associações com o intuito de defender o direito dos envolvidos ou associados ao grupo, promovendo maior força dando voz aos trabalhadores.

Foi assim que os primeiros trabalhadores se uniram em sindicatos, tema do nosso artigo de hoje.

Origens dos sindicatos.

A origem do termo “sindicato” é bem mais antiga do que você imagina, sendo a palavra “sindicus” um termo utilizado na Grécia antiga para denominar os defensores da justiça. Sendo assim, o termo esteve ligado desde o início à defesa de causas de uma pessoa ou grupo de pessoas.

Apesar de antigo, os grupos de trabalhadores tiveram pouca relevância no transcorrer da história durante a era medieval, visto que em sua grande maioria, existiam produtores independentes que possuíam suas pequenas confecções caseiras sem grandes equipes de funcionários, trabalhando de forma manual e autônoma como artesãos.

O grupo de pessoas, no entanto, que mais se aproximou do conceito inicial de um sindicato foram as corporações de ofício, associações que buscavam regulamentar o processo de produção artesanal baseados em hierarquias com a ordem de 1º Mestres, 2º Oficiais e por fim 3º Aprendizes, além de regular o modo e o material que determinado bem deveria ser produzido.

Somente os membros das corporações de ofício que possuíam permissão para exercer determinada profissão como artesão, carpinteiro, construtor e etc.. Aqueles pegos exercendo a profissão sem a determinada “regulamentação” das corporações sofriam punições como multas, prisão ou até exílio.

Na área rural a força trabalhista também possuía pouca força contra os grandes donos de terras conhecidos como suseranos, que permitiam o cultivo de pequenos pedaços de terras pelos seus vassalos em troca de um percentual (geralmente abusivo) de sua produção agrícola.

Na história os grandes grupos sindicais só ganharam força de verdade em conjunto com o período da revolução industrial, quando milhares de pessoas iniciaram o êxodo rural rumo às cidades em busca de trabalho e melhores condições de vida.

Com condições de trabalho deploráveis, não demorou muito para que a classe trabalhadora da época se rebelasse contra seus empregadores e exigissem condições mínimas para que pudessem exercer sua profissão de forma digna.

Os primeiros grupos de operários se uniram na Inglaterra em associações conhecidas como trade unions, que eram congregações de trabalhadores que defendiam a humanização do operário, melhores condições de trabalho, pagamentos mínimos pelos serviços prestados dentre outras reinvindicações. As trade unions deram o pontapé na criação dos sindicatos que foram a evolução natural dos grupos trabalhistas.

O que faz um sindicato?

Atualmente os sindicatos representam forças trabalhistas de uma determinada empresa, como no sindicato dos funcionários dos Correios ou da Petrobrás, ou ainda uma classe toda de profissionais, como é o sindicato dos bancários, sindicato dos médicos, dos professores e etc.

Apesar de representar toda uma classe, o sindicato geralmente luta pelo direito de seus afiliados, ou seja, daqueles que contribuem anualmente com uma parcela de seus salários para que seja mantida a administração e estrutura dos sindicatos.

Por sinal, a contribuição realizada pelos representados é justamente a fonte de renda dos sindicatos, que só funcionam com o apoio daqueles que usufruem de seus serviços e/ou benefícios. Esta contribuição não é obrigatória e pode-se pedir isenção dela.

Em resumo, as atribuições de um sindicato são:

– Prestar apoio jurídico e administrativo aos seus membros e associados.

– Defender direitos e interesses da classe ou grupo de trabalhadores que estes representam.

– Realizar a conscientização de seus membros e associados sobre assuntos pertinentes aos trabalhadores.

– Auxiliar funcionários e empresa em acordos ou convenções coletivas de trabalho.

Os sindicatos são responsáveis pela centralização da voz de determinada classe trabalhadora ou grupo, trazendo maior poder argumentativo frente às empresas e administradores, buscando melhorar a condição dos funcionários. Outra função dos sindicatos é a promoção de palestras e cursos aos seus representados de tal modo que estes possam se desenvolver profissionalmente e com isso fortalecer a classe.

Não é incomum que se veja sindicatos fazendo protestos e manifestações, além das famosas greves, para alcançar anualmente reajustes inflacionários de salários (quase) sempre acima da inflação, defendendo os trabalhadores da elevação dos preços.

A liderança (ou presidência) de um sindicato é realizada através de votação direta de chapas de candidatos na qual os membros associados realizam votação. Os prazos e a determinação dos candidatos são estipuladas em no estatuto do próprio sindicato.

Sindicatos, um problema?

Temos visto na história recente dos sindicatos no Brasil diversas denúncias envolvendo membros e a administração de diversas representações de trabalhadores. Casos como corrupção, desvio de verbas e recursos, superfaturamento em prestações de serviços e demais problemas são constantemente trazidos à tona pela mídia brasileira.

Devido a isso, muitas pessoas deixam de contribuir com seus próprios sindicatos, uma vez que possuem uma imagem pejorativa das organizações recentes de sindicalismo, buscando ir tratar diretamente a resolução de problemas com a empresa, ou ainda criando pequenos grupos de representantes dentro das próprias empresas, deixando de consultar-se com sindicatos ou organizações de classe.

Então é isso… se você possui um sindicato representando sua profissão ou classe trabalhadora, procure se informar mais sobre ele e verificar as vantagens em se filiar! Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos.

Até a próxima!

2 Comentários


  1. Ótimo artigo. Mas você, que se identifica como um liberal, o que acha sobre os sindicatos, principalmente no Brasil e nos dias atuais? Acha que eles atrapalham os empreendedores? Acha que em certos pontos os sindicatos exageram e só atrapalham mais a economia?

    Responder

Deixe uma resposta