Commodities – O que é? Exemplos de Commodities.

Commodities – O que é? Exemplos de Commodities.

264
0
SHARE

Existem economias que são famosas por seus produtos altamente industrializados, outras possuem produtos de alta tecnologia, enquanto que algumas são mundialmente conhecidas por produtos fabricados com mão de obra barata.

Não importa em que país você viva, o tipo de produto que você oferece define que tipo de economia você possui.

Países como EUA e Alemanha são reconhecidos por seus produtos industrializados como máquinas, equipamentos e automóveis. Já o Japão e a Coreia do Sul são responsáveis pelos produtos de mais alta tecnologia que o mercado pode encontrar como computadores, eletrodomésticos, eletroeletrônicos dentre outros. E a China? Famosa por sua produção de baixo custo com diversas notícias de trabalhadores sob condições precárias no ambiente de trabalho.

Esses são exemplos de alguns países e seus modelos de produção, mas existem países que não se encaixam em nenhum dos estereótipos citados acima.

Países como o Brasil, considerados emergentes, possuem ainda uma forte dependência em produtos considerados brutos ou primários, e esse é justamente o assunto do nosso artigo.

Commodities, recursos escassos.

Por definição, commodity é todo recurso que se encontra em estado bruto ou de baixo valor agregado.

Quando estamos falando de alguma commodity logo vem as nossas cabeças produtos como petróleo, café, soja, metais, cereais, madeira, energia e etc.. Repare que todos estes produtos citados possuem uma característica em comum, eles estão em sua maioria na sua forma bruta e não sofreram grandes processos de industrialização.

Mas como assim Denis? Eles não foram produzidos ainda?

Muitos deles estão em sua forma in natura, ou seja, não sofreram grandes modificações que alterassem sua forma original.

Por exemplo, o café bruto colhido nos campos é considerado uma commodity, enquanto que o café torrado e moído que é vendido nos mercados são produtos industrializados, uma vez que passaram por modificações que alteraram seu estado bruto original.

Por ser uma matéria-prima para outros produtos, muitas das commodities existentes hoje apresentam alguma escassez e por isso possuem um preço elevado em sua comercialização.

É o caso do petróleo, uma das commodities mais disputadas e valiosas do mercado internacional.

Tipos de commodities

Dependendo do tipo de commodity, o produto apresenta uma classificação que o enquadra na categoria abaixo:

  • Commodities agrícolas: café, soja, milho, algodão, cana, suco de laranja.
  • Commodities ambientais: energia, madeira, água, créditos de carbono.
  • Commodities minerais: minério de ferro, petróleo, ouro, prata.
  • Commodities financeiras: dólar, real, euro, yen.

Se observarmos os exemplos acima, podemos ver que todos possuem a característica de ser matéria-prima para produtos industrializados.

Outro ponto que deve ser observado é que estando na forma bruta, todas as commodities são, na maior parte do mundo, o mesmo produto, ou seja, podem ser comparáveis e comercializáveis com uma cotação internacional.

Diferente de carros, celulares e roupas que podem ser comparáveis por sua tecnologia, sofisticação, marca, marketing e qualidade, as commodities em geral possuem um padrão internacional de especificações que as tornam equiparáveis e negociáveis em bolsa de valores.

Soja é soja em qualquer lugar do mundo, assim como café, açúcar, petróleo madeira e etc.. É claro que pode haver pequenas variações na qualidade do produto entre o petróleo do Brasil e o dos EUA, no entanto, a commodity em seu estado bruto possui similaridade que a permite ser negociada assim mesmo.

Estas negociações acontecem nas bolsas de valores em todo o mundo e possuem sistemas próprios de compra e venda de commodities que possuem um preço igual ao de uma ação, ou seja, variante conforme a oferta e a demanda pelo produto.

Dá para investir em commodities?

Sim! O mercado aonde são comprados e vendidos os contratos de venda de mercadorias chama-se Mercado Futuro, pois você negociará a compra e venda de contratos de produtos que ainda irão ser plantados, colhidos e vendidos.

No Brasil, a negociação ocorre através do sistema da BM&FBovespa, a qual como o nome já diz Bolsa de valores, Mercadorias e Futuros (BM&F).

E como eu disse, sendo as commodities produtos equivalentes no mundo inteiro, é possível comprar e vendê-las no mundo inteiro, sendo o dólar a moeda mais utilizada nas negociações.

A negociação de commodities acontece através de contratos fechados de determinadas mercadorias, como a soja, por exemplo. Ao adquirir um contrato de soja, você tem o direito na data de vencimento de adquirir o montante de soja que está descrito no seu contrato pelo preço combinado no dia da compra.

Porém nem todos os investidores estão atrás da mercadoria física em si, estando a maioria neste tipo de mercado simplesmente para especulação.

Funciona assim…

Paulo vai no mercado da BM&F e sinaliza que quer comprar um contrato de 500 sacas (60 kg cada saca) de café pelo preço de R$ 120,00 cada saca para daqui a cinco meses.

Paulo, sendo um vendedor de máquinas de lavar, não tem o que fazer com tanto café e tampouco possui espaço físico para armazená-lo. E agora? Como receber o café nunca foi seu objetivo, durante estes cinco meses Paulo tentará vender este contrato que pagou R$ 120,00 cada saca por um preço maior a alguém que esteja interessado nessa quantidade de café, ou até para outro especulador como ele.

Caso a cotação (preço) do contrato de café suba para R$ 130,00 Paulo terá conseguido um lucro de dez reais para cada saca adquirida anteriormente através do contrato. Se outro especulador como Pedro achou que R$ 130,00 ainda era um preço aceitável e que a cotação subirá ainda mais, ele comprará o contrato de Paulo esperando vender por um preço ainda maior.

Mas assim como em todo investimento, há riscos atrelados que podem corroer a rentabilidade dos especuladores. Se ao invés da cotação do café subir e ela chegar a R$ 90,00 quem estiver com o contrato da commodity na mão terá que arcar com o prejuízo ou então ir retirar a quantia de café indicada no contrato.

Não são só especuladores que estão no mercado de mercadorias. Muitas empresas que temem ter de pagar um preço maior pela sua matéria-prima podem comprar um contrato de soja, por exemplo, e exercer a opção do recebimento da mercadoria daqui um tempo, quando a cotação da soja estiver bem mais alta.

Desse modo, a empresa trava o preço da mercadoria que é necessária à sua produção e economiza a diferença que teria de pagar caso fosse comprar a matéria-prima no momento mais caro.

Do mesmo modo, um produtor de arroz pode esperar que o preço do produto esteja mais barato no futuro e queira vender um contrato com o preço de hoje, garantindo assim seu lucro quando as cotações começarem a cair.

Percebeu que no mercado de investimentos tudo funciona desse jeito? Duas partes com expectativas diferentes sobre um mesmo ativo, apostando uma contra a outra que sua expectativa está mais correta que a dos outros. Um esperando o preço subir enquanto o outro esperando o preço cair.

Economicamente falando…

Países que possuem sua economia baseada em commodities podem sofrer crises graves quando o preço internacional destas começarem a ruir.

Quando há oferta em excesso de determinado produto no mercado internacional, sua cotação tende a cair e com isso, o país que for dependente desta terá menos dinheiro entrando em sua economia e consequentemente menos capital para fomentar a atividade econômica nacional.

Geralmente países que são grandes produtores e exportadores de commodities tendem a ser menos desenvolvidos, com suas atividades voltadas à agropecuária. Portanto, é de extrema importância que o país se desenvolva economicamente para que possa oferecer produtos de maior valor agregado e não depender tanto da situação econômica de seus parceiros comerciais.

Então é isso! Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

SHARE
Previous articleGoverno, o homem gordo.
Next articleCredit Default Swaps - CDS Brasil
Graduado em Ciências Contábeis, possui MBA em Investment Banking e está agora iniciando seu mestrado em economia. Atualmente trabalha no mercado financeiro e escreve os blogs com o objetivo de ajudar as pessoas a conhecerem um pouco mais acerca do mundo econômico, contábil e administrativo e sobre tudo o que isto implica.

NO COMMENTS

Deixe uma resposta